23° Parada do Orgulho LGBTI reúne milhares de pessoas no Rio de Janeiro; confira o que rolou!

(Foto: Danilo Muniz/Poltrona Vip)

A cidade do Rio de Janeiro recebeu neste domingo (30) a 23º Parada do Orgulho LGBTI, que reuniu não só várias atrações nos trios, mas milhares de pessoas dispostas a celebrar o amor e o respeito. Lexa, Lary, Gloria Groove, Alinne Rosa, Donas, Mc Pocahontas, Ananda, Lorena Simpson e muitas outras artistas subiram aos trios para performar grandes sucessos e levar a alegria para as pessoas que lá estavam. A realização era do Grupo Arco Iris e contou com trios de festas super famosas do Rio, como Treta, Chá da Alice e Eclética, além de um trio super bombado do Uber.

Pela manhã, aconteceu uma coletiva de imprensa no hotel Grand Mercure, bem em frente de onde saiu o primeiro trio e que recebeu toda a produção e artistas que fizeram parte da programação da parada. Durante a coletiva com os organizadores e representantes de empresas parceiras, a porta-voz da Uber, Ligia, enfatizou a importância que o movimento LGBTI tem para a empresa, que nasceu em São Francisco. “Apoiar a diversidade faz parte do nosso DNA. A gente faz campanhas internas e externas que ressaltam a importância do respeito, a importância da diversidade […]”, disse. Segundo Ligia, a Uber, além de ter nascido em uma cidade que é berço do movimento LGBTI, tem programas dentro da empresa para que pessoas trans consigam trabalhar, gerar renda e isso usando nome social.

Trazendo o tema “Vote em ideias, não em pessoas.”, a Parada do Orgulho LGBTI foi mais que uma festa para celebrar a diversidade e respeito, foi um evento essencial para a conscientização da população e para falar nas eleições, que ocorrerão no próximo dia 7 de outubro. “Esse voto tem que ser direcionado à comunidade LGBTI. O discurso do político honesto e capaz já se provou irreal. A grande mudança é estética. Temos que colocar negros, LGBTIs e mulheres no poder”, disse segundo Almir França, o presidente do Grupo Arco Íris.

“A gente não pode escolher alguém que não respeite a mulher, que não respeite as diferenças, né. Principalmente os homossexuais e as minorias. E é isso que eu tento dizer às pessoas, falar, usar a minha voz para tentar conscientizá – las porque a gente tá em um momento que temos que olhar pra frente, não retroceder.”, confessa Alinne Rosa, que fechou a série de shows do trio da Uber. A cantora continuou falando sobre a importância do movimento LGBTI e da Parada como forma de conscientização das pessoas. “Eu acho muito importante! Eu tenho um público muito grande LGBTI e a cada parada que eu canto, eu faço paradas ao redor do Brasil inteiro, eu vejo como se fortalece o movimento tanto na rua quanto nas redes sociais e eu acho muito importante mesmo chamar todo mundo para vir, gritar por respeito, exigir tolerância, mostrar que a gente só quer ser aceito, né? ‘A gente’ eu falo pelo meu público LGBTI. E eu acho muito importante, sempre que me chamarem eu estarei a postos!”

Alinne Rosa se apresentando no trio da Uber. (Foto: Danilo Muniz/Poltrona Vip)

Vale lembrar que todos os artistas que fizeram parte do evento e se apresentaram nos trios, estavam lá pelo amor à comunidade LGBTI, por acreditarem na causa e apoiarem o movimento #EleNão. Os artistas que fizeram parte dessa festa não cobraram cachê, o que reforça ainda mais a importância do evento para cada um. Wanessa Camargo, que se apresentaria e infelizmente não pôde comparecer, deixou claro na internet quando questionada por um seguidor. Veja o tweet:

23ª Parada do Orgulho LGBTI se estendeu até às 20h levando a festa pela orla de Copacabana passando uma mensagem super positiva sobre amor, respeito, diversidade e outros pontos que são super importantes para a comunidade não só LGBTI, mas mulheres, negros e outros grupos. Realizamos a cobertura completa e em tempo real. Para assistir, acesse nosso Instagram clicando aqui. No perfil você encontrará também algumas fotos que fizemos no evento!

Até o ano que vem e vote certo no dia 7! 😀