in

Ana Miranda de “Malhação: toda forma de amar” dirige o espetáculo “O Oráculo”

A atriz Ana Miranda, que está no ar como Margarida, em “Malhação: toda forma de amar”, da Rede Globo, assina a direção da comédia “O Oráculo”, de Arthur Azevedo, que estreia no dia 07 de agosto, às 21h, no Teatro Vannucci, no Shopping da Gávea, no Rio de Janeiro. O espetáculo foi montado e dirigido, pela primeira vez, por ela, em 2016, durante a defesa da tese final do curso de licenciatura em teatro.

+ COM MUITO BOM HUMOR E FALANDO SOBRE MATERNIDADE, MIÁ MELLO ESTREIA “MÃE FORA DA CAIXA” NO RIO

O espetáculo conta a história do advogado Nelson, que recebe conselhos amorosos do Oráculo para saber a melhor forma de como terminar o relacionamento com a sua amante, a viúva Helena. Quando descobre a sua intenção, ela inventa uma traição que o deixa revoltado.

“É um texto do século XIX, mas que retrata os comportamentos e hábitos atuais da sociedade. Nessa peça de costumes, Arthur Azevedo demonstra toda a sua habilidade em criar um enredo engraçado, que prende a atenção do espectador, e ainda reelabora elementos da tradição literária”, conta a atriz.

+ MUSICAL DE CAZUZA GANHA NOVA TEMPORADA EM SÃO PAULO COM NOVO PROTAGONISTA

“Como é uma peça pequena, para aumentar o tempo de duração, precisei adaptar nas marcações, mas sem mexer no texto original, já que se trata de uma história antiga. Na primeira montagem, o retorno foi maravilhoso e surpreendente porque é difícil fazer uma comédia de época. Agora, com mais recursos, resolvi fazer uma nova, que está muito rica, com cenário e figurino do século XIX, aonde os quatro personagens são os protagonistas. Não tem um maior ou melhor que o outro. Todos são importantes na história”, completa Ana Miranda.

No ano passado, ela viveu a Dona Teresa de Jesus, mãe de Martinho da Vila, no espetáculo “Martinho da Vila 8.0 | Uma Filosofia de Vida”, em homenagem ao sambista.

Escrita por Lucas Belo

Diretor de “Space Jam: O Jogo do Século” com LeBron James abandona a produção e Malcolm D Lee assume as filmagens

Com um visual espetacular, “O Rei Leão” chega às telonas | Crítica