Anna Kendrick e Blake Lively brilham no surpreendente “Um Pequeno Favor”| Crítica

Filmes de suspense nem sempre são realizados de forma acertada, tramas ruins e pouco envolventes, mistérios mal-construídos, reviravoltas previsíveis, tudo isso fácil e achar em várias das produções do gênero. Felizmente, a safra ultimamente tem sido positiva, e “Um Pequeno Favor” é mais um exemplar desse bom momento.

Na história baseada no livro homônimo de Darcey Bell, a melhor amiga de Stephanie (Anna Kendrick) pede para ela pegar seu filho na escola e depois desaparece misteriosamente, Stephanie procura descobrir a verdade por trás do súbito desaparecimento de Emily (Blake Lively). Stephanie é acompanhada pelo marido de Emily, Sean (Henry Golding).

A trama é rápida e não perde tempo em começar a desenvolver seus mistérios, com um roteiro inteligente envolve o público em personagens carismáticos e surpreendentemente engraçados. Não que comédia seja algo novo para o diretor Paul Feig, ele é um dos maiores nomes do gênero atualmente, tendo feito “Missão Madrinha de Casamento“, “As Bem-Armadas“, “A Espiã que Sabia de Menos” e “As Caça-Fantasma“. Mas não deixa de ser uma surpresa ver momentos de comédia sendo inseridos de forma tão natural e bem-feita em um filme com o teor tão denso. E é impressionante o quanto o roteiro adaptado de Jessica Sharzer (American Horror Story) consegue ter tantas reviravoltas e não confundir o público nem subestimar a inteligência dele.

No quesito atuação, a dupla de protagonistas do longa, Anna Kendrick e Blake Lively brilha em seus respectivos papeis. Dá pra ver a ingenuidade de Stephanie aos poucos se esvaindo dos olhos de Kendrick e a clara ausência dos traços da personalidade de Lively em sua Emily. Destaque também para o pequeno Ian Ho, que interpreta Nicky, o filho de Emily e para sua mãe, em breve aparição da veterana Jean Smart. A trilha sonora, dando um tom de classe e elegância ao filme, e os ótimos figurinos também são dignos de elogios.

O longa tem poucas falhas, sendo as mais claras causadas por algumas situações que o roteiro não conseguiu deixar naturais. O sentimento ao ver algumas das decisões tomadas por Stephanie era o de “forçação de barra”. Mas nada que atrapalhe a experiência.

Com um tom de suspense que remete a “Garota Exemplar” e acidez que lembra “Meninas Malvadas” (especialmente no trio liderado pelo personagem de Andrew Rannels), Um Pequeno Favor é um filme acima da média e que não merece cair no esquecimento.

PS.: Já quero o vlog da Stephanie inteiro disponível no YouTube.