Beyoncé é capa da Vogue Setembro e fala sobre representatividade

Beyoncé estampa pela segunda vez a capa da edição mais importante do ano da Vogue. O mês de setembro é sempre o mais importante para as revistas de moda nos Estados Unidos pois é o fim do verão americano e marca um novo ano de mudanças no guarda roupa, consequentemente é a edição que mais atrai anunciantes. Anna Wintour, editora chefe da revista, deu a Queen B total controle sobre a edição e ela poderia fazer o que quisesse. Beyoncé contratou Tyler Mitchell para fazer suas fotos, o primeiro fotografo negro na história a fazer uma capa para a Vogue e deu uma das entrevistas mais pessoais de sua carreira.

Confira um trecho, onde Beyoncé fala sobre a importância de sua representatividade:

“Quando eu comecei, 21 anos atrás, me disseram que era difícil para mim entrar em capas de revistas porque os negros não vendiam. Claramente isso foi provado um mito. Não só é um afro-americano na capa do mês mais importante para a Vogue, esta é a primeira capa da Vogue tirada por um fotógrafo afro-americano.

É importante para mim ajudar a abrir portas para artistas mais jovens. Há tantas barreiras culturais e sociais à entrada que eu gosto de fazer o que posso para nivelar o campo de jogo, para apresentar um ponto de vista diferente para as pessoas que podem sentir que suas vozes não importam.

Imagine se alguém não tivesse dado uma chance às mulheres brilhantes que vieram antes de mim: Josephine Baker, Nina Simone, Eartha Kitt, Aretha Franklin, Tina Turner, Diana Ross, Whitney Houston, e a lista continua. Eles abriram as portas para mim e rezo para que eu faça tudo o que puder para abrir as portas para a próxima geração de talentos.”

Matéria completa aqui

Confira as capas: