Combate às drogas, pós-verdade e diversidade sexual foram alguns dos temas debatidos hoje na Bienal do Livro Rio

0
55

A 18ª Bienal Internacional do Livro Rio apresentou até hoje uma programação cultural bastante diversificada em espaços como o Café Literário, o Encontro com Autores, o Palco Maracanã, a Arena #SemFiltro e o inédito Geek & Quadrinhos. No penúltimo dia do evento, os temas da programação oficial foram do combate às drogas, identidade de gênero, pós-verdade, Game of Thrones até literatura fantástica, além das sessões com autores que lotaram os espaços reservados para o encontro com os fãs. A Bienal do Livro acontece até o dia 10 de Setembro. Para mais informações clique aqui.

Confira abaixo os destaques do dia:

Café Literário

Críticas às atuais políticas de combate às drogas marcaram o debate que abriu o Café Literário, na manhã deste sábado. “Novas políticas sobre drogas” foi o tema que reuniu o neurocientista americano Carl Hart; a cientista política Ilona Szabó e o ex-jogador de futebol Walter Casagrande, com mediação de Rodrigo Lacerda. O neurocientista defendeu uma mudança na forma como a sociedade encara o uso de entorpecentes dizendo que a política de combate às drogas dispersa o debate em torno de problemas estruturais. “Quando focamos nossa preocupação no tráfico, deixamos de pensar em educação, empregos e distribuição de renda”.

A cientista política Ilona Szabó, listou medidas que, em sua opinião, fariam o Brasil avançar no tema. “É preciso abrir a porta para o debate sem tabus. Deixar de tratar o usuário como criminoso, tirá-lo da esfera criminal; e pesquisar de maneira séria sobre o tema”, avaliou. Já o ex-jogador e comentarista Casagrande contou como enfrentou a dependência química, que o levou a ficar internado durante um ano. “Convivi com a droga desde jovem e não percebi que estava se tornando um problema. No meu caso, a internação, decidida pela minha família, foi fundamental para salvar minha vida”, lembrou.

Durante a mesa-redonda “Novas editoras”, na tarde de sábado, os convidados debateram sobre o mercado para pequenas e médias editoras criadas nos últimos anos. Representantes de novas editoras, Fabiano Curi, Tatiana Kely, Karla Melo e Flávio Moura, com mediação de Fernanda Diamant, conversaram sobre o perfil de seus lançamentos, com foco na qualidade editorial; estratégias de distribuição; investimento em plataformas digitais e a contribuição das editoras pequenas e médias para a formação de público leitor.

No bate-papo “Cronistas Contemporâneos”, os cronistas Fabrício Carpinejar, Raphael Montes e Afonso Borges debateram sobre a importância da crônica na literatura e jornalismo na atualidade. Mediados pelo também cronista Arnaldo Bloch, o trio defendeu que a crônica é o melhor estilo para tentarmos entender as rápidas transformações de comportamento nas sociedades.

Em meio às notícias factuais e efêmeras nos jornais, a crônica dá ao escritor a liberdade de transitar entre a literatura e o jornalismo. Mesmo sendo factual e atual, os cronistas são capazes de identificar traços peculiares de pessoas e situações em meio ao cotidiano e também de resgatar a memória. “A boa crônica perdura, pois é capaz de transformar um assunto na essência humana”, afirmou Raphael Montes.

Eleita em 2016 como a palavra do ano pelo dicionário de Oxford, a “pós-verdade” foi o tema de um dos debates mais lotados no Café Literário. O historiador Leandro Karnal e a jornalista da revista Piauí, Daniela Pinheiro, conversaram sobre “Pós-verdade: Fatos e Narrativas”, mediados pelo jornalista João Gabriel de Lima. “O Brasil é um país que incorpora tardiamente as ideias. A questão central é a economia. As outras questões são abstratas”, afirmou Karnal.

Em um bate-papo descontraído, os jornalistas Artur Xexéo, Joaquim Ferreira dos Santos e Patrícia Kogut encerraram a programação de sábado do Café Literário. No encontro Histórias da TV e sociedade, mediado por José Godoy, os jornalistas conversaram sobre personalidades da televisão brasileira, sobre as mudanças da mídia televisiva ao longo das décadas e sobre o futuro da TV. Joaquim e Xexéo se debruçaram em duas biografias recém-lançadas de personagens emblemáticos, como a apresentadora Hebe Camargo e o colunista social Zózimo Barrozo do Amaral. Titular de uma coluna no jornal O Globo dedicada à televisão, Patrícia Kogut também lançou recentemente um livro sobre os programas mais marcantes da TV em toda a história. Além de falar sobre seus biografados e sobre os processos de criação dos livros, os jornalistas apontaram os desafios da televisão aberta e dos canais por assinatura.

Geek & Quadrinhos

Os desenhistas Will Conrad, Adriana Melo e Cris Peter participaram, neste sábado, do bate-papo “Profissão: quadrinista!”. Com muitos anos de carreiras e experiências internacionais, eles falaram sobre o inicio e os desafios da profissão. Will, natural de Belo Horizonte, contou que, no início, encontrou muita resistência da família que era muito tradicional. Já Adriana e Cris foram sempre muito incentivadas pelos os pais. Todos eles trabalham de forma autônoma e têm no currículo trabalhos feitos para a Marvel e DC Comics. Como profissionais da área, um dos maiores desafios diários que eles encontram é a compreensão de amigos para entender o seu trabalho, já que o fazem de casa, além das distrações que o ambiente do lar proporciona. Para quem está começando, eles recomendam muita prática, indicando que hoje há muita informação boa na internet que pode ajudar os jovens a aperfeiçoar o seu trabalho, além dos cursos, que hoje são mais abundantes.

Arena #SemFiltro

Um bate-papo bem humorado sobre a série “Game of Thrones” e o filme “Senhor dos Anéis” lotou a Arena #SemFiltro. O encontro, antes previsto para 100 pessoas no espaço Geek & Quadrinhos, teve que ser alterado devido ao grande público, que passou de 400 e contou com a participação dos youtubers Carolina Moreira, Gaveta e Mikannn. A dupla que defendia GOT, Carolina e Mikann, venceu o debate.

Na parte da tarde, Maicon Santini, Renato Plotegher e Lorelay Fox, autores que se utilizaram de contos como “A Branca de Neve”, por exemplo, para debater temas relativos à diversidade sexual e identidade de gênero. Mediado por Felipe Cabral, o encontro abordou temas como a luta do movimento LGBT+, a descoberta da sexualidade na adolescência como um grande desafio a ser enfrentado, o preconceito de gênero e racional, além da literatura LGBT+.

Durante a tarde, foi a vez do jovem Raony Phillips, criador da websérie “Girls in the House”. Com mediação de Ana Paula Lisboa, o encontro trouxe o criador, que agora lança “Meu Livro. Eu que Escrevi”, trazendo as histórias de Duny Eveley, uma de suas famosas personagens. Durante o bate-papo, Raony contou um pouco de sua experiência e história de vida, falou sobre a inspiração para os nomes “diferentes” de seus personagens, além da sua experiência de escrever, pela primeira vez, um livro.

O encontro, mediado pelo diretor José Lavigne, contou com a participação do ator Marcius Melhem, e dos youtubers Luan Novitt, Manoela Antelo e Victor Meyniel. Durante o bate-papo, os participantes – que percorreram caminhos diferentes para chegar ao mesmo objetivo: humor –contaram suas histórias e trajetórias de vida. “Procuro divertir sem ofender com o objetivo de atingir todas as faixas etárias”, explicou Marcius Melhem. Os youtubers alertaram que na internet não existe interpretação. “O vídeo retrata o que realmente somos. Não existe personagem, somos nós o tempo inteiro”, falou Victor Meyniel. A plateia participou intensamente com perguntas e curiosidades sobre a arte de fazer sorrir.

Encontro com Autores

Raphael Draccon e Carolina Munhóz conversaram sobre Literatura Fantástica. O casal, que atualmente vive em Los Angeles, comentou que o gênero viveu seu boom no Brasil em 2012, mas que atualmente está mais rico do que nunca, com mais mulheres escrevendo e constantes negociações para vender os direitos das obras ao cinema.

Os fãs das trilogias “Dragões de Éter”, “Legado Ranger” e do livro “A Fada” puderam conversar de perto com os escritores e ouvir as novidades sobre projetos que estão saindo do forno – como a personagem que vai integrar um novo livro para a DC Comics, produzido pela escritora Marie Lu, que terá o nome inspirado nos autores.

Na parte da tarde, a conversa foi dedicada aos gêneros Terror e Suspense, com a convidada Karin Slaughter, autora premiada e conhecida pelas obras “Will Trent” e “Flores Partidas”. No papo, a autora revelou que se inspira no comportamento das pessoas em aeroportos ao redor do mundo para a construção dos personagens. Além das observações de campo, Karin também faz longas pesquisas com policiais, detetives e médicos para enriquecer suas obras.

A autora Paula Pimenta participou do “Bate-papo fora de série!”.  No encontro, a escritora falou do lançamento da quarta temporada de “Minha Vida Fora de Série” e também sobre seus outros sucessos literários, como “Fazendo meu Filme”, “Apaixonada por palavras” e “Apaixonada por histórias”, que reúne suas crônicas, além da releitura moderna do clássico “A Bela Adormecida”, “Princesa Adormecida”. Paula contou um pouco sobre seu processo criativo e deu dicas para quem sonha ser escritora como ela. “Acredito que o caminho é ler muito, escrever sobre o que gosta e conhecer muito bem sobre o tema escolhido”, resume a escritora.

Sessão de autógrafos

As youtubers Melissa e Nicole acabam de lançar o livro “Planeta das Gêmeas” e estiveram hoje na Bienal do Livro para uma manhã de autógrafos. Durante o encontro, mais de 300 crianças lotaram a Praça Copacabana, para abraçar e garantir a sua assinatura. “Achamos muito legal estar aqui. Amamos o carinho das fãs”, comenta Melissa. O livro reúne conversas, listas e várias curiosidades sobre as meninas, que já passam dos três milhões de inscritos no Youtube.