“Divertida mente” mente mesmo? Escritora acusa Disney e Pixar de plágio

A norte-americana Carla J. Masterson está processando os estúdios da Disney e Pixar por plágio de dois livros, de acordo com declaração do portal The Wrap, nesta sexta (1). Segundo Carla, as produtoras teriam copiado basicamente o enredo das obras infantis “What’s on the Other Side of the Rainbow?” e “The Secret of the Golden Mirror”. Inside Out (nome original de “Divertida mente”) retrata a experiência de uma criança após mudar de cidade e como ela lida com as diferentes emoções no início da pré-adolescência.
Para realizar o longa “Divertida Mente” (2015), filme que ganhou o Oscar em 2016 na categoria de melhor animação, as empresas teriam se apropriado da ideia de representar os sentimentos das crianças. Apesar da acusação, o diretor e roteirista Peter Docter declarou na época do lançamento que a inspiração para a história foi a mudança comportamental da própria filha, em 2009. A menina seria a personagem Riley, com os mesmos 11 anos de idade.
Já conforme a declaração judicial de Masterson, os executivos da Disney teriam entrado em contato com a narrativa criativa no Emmy e no Oscar de 2010 e 2011. Nas cerimônias foram entregues brindes da versão ilustrada de “O que está no outro lado do arco-íris?” (em tradução livre). Com o plágio, a escritora estimou a perda de 75 mil dólares. Mas os estúdios arrecadaram mais de US$ 1 bilhão com a animação, que foi a sexta maior bilheteria de 2015.
O filme representa a alegria, o medo, o nojo, a raiva e a tristeza como personagens. Eles comandam a mente da protagonista, que passa por muitas alterações. Assim como os livros de Carla, que, segundo ela, “são histórias originais, criativas e artísticas sobre como as crianças se identificam, entendem as razões e gerenciam os efeitos de suas emoções”. Afinal, a mente diverte ou mente? Fica o questionamento.

Confira o trailer de “Divertida mente”: