“Eu estive no limite de tirar a minha vida”, diz Billy Corgan em entrevista

Billy Corgan, vocalista, guitarrista e líder da banda norte-americana Smashing Pumpkins, abriu o jogo sobre sua luta passada contra a depressão e pensamentos suicidas.
Billy estava em entrevista a Alternative Nation ao radialista Howard Stern quando o assunto sobre a perda de grandes astros da música, Chris Cornell e Chester Bennington, e de, mais recentemente, Anthony Bourdain para o suicídio nos últimos anos surgiu. O frontman disse ter grande empatia por quem já teve esse tipo de experiência. “Eu não sabia o que fazer, qualquer um que já passou por isso tem a minha total empatia. Eu tinha ataques de pânico muito pesados”, disse Billy. “Eu tava no banho e meu coração acelerava, eu achava que estava enlouquecendo. Agora eu entendo, é a pior coisa.” Corgan ainda prosseguiu: “Como alguém que esteve no limite de tirar minha própria vida, eu não sou firmemente contra, diria que é algo que nunca vale a pena.”
Questionado sobre o que o salvou, Billy Corgan mencionou que a espiritualidade foi um fator determinante para ele. “Para mim é uma questão espiritual. Essa é a minha versão. Você está dizendo a Deus ‘eu não aceito essa circunstância e eu vou parar esse jogo’. A outra parte disso é você dizendo ‘eu não consigo imaginar um amanhã onde vai haver gargalhadas ou felicidade’. Isso hoje é imensurável pra mim e é o que me mantém. Eu penso no meu filho, em como eu posso vender tudo e mudar pra uma ilha.”

Howard Stern ainda comentou sobre a antiga baixista do Smashing Pumpkins, D’arcy Wretzky, que mencionou que ele tinha um tumor cerebral. Corgan ainda disse sobre ela não fazer parte da tour de reunião. Numa entrevista também a Alternative Nation, D’arcy disse ter sido expulsa da turnê.
A banda conta na reunião com, além de Billy Corgan, James Iha, Jimmy Chamberlin e Jeff Schroeder ocupando o lugar de Wretzky.

No set, os integrantes estão tocando somente músicas dos primeiros cinco álbuns de estúdio (Gish, Siamese Dream, Melon Collie and the Infinite Sadness, Adore e Machina).

Confira alguns dos sucessos da banda!