in

Iza, Elza Soares e Titãs outros artistas gravam “Ritmo da Alma” que encerrará o novo espaço do Rock In Rio

A faixa inédita fará parte da experiência da ‘Nave – Nosso Futuro É Agora’ no festival.

O Rock in Rio convidou na última terça (27) um time de artistas para gravarem a “Ritmo da Alma”, que encerrará a experiência da “Nave – Nosso Futuro é Agora”, novo espaço do festival. Titãs, Elza Soares e Iza são algumas das atrações que estão envolvidas no projeto, que conta também com nomes que fazem parte da história do Natura Musical, como Xênia França, Dona Onete e Johnny Hooker.

“A Nave vai ser a experiência de entrada do público nesta edição. Queremos junto com nossos visitantes aprender como levar as atitudes positivas que se vive na Cidade do Rock para o nosso dia-dia”, complementa Roberta Medina, vice-presidente executiva do Rock in Rio.

“Ritmo da Alma traduz a nossa realidade, o cotidiano das pessoas. O celular passou a ser nosso espelho e faz mais parte da nossa vida do que, muitas vezes, nós mesmos. Abrimos mão de conceitos fundamentais, que fazem parte da essência humana: o amor, a conexão entre as pessoas e os elos do universo. Essa velocidade absurda do tempo do mundo é incompatível com a velocidade do ser humano. Por isso, propomos que esse “espelho” seja quebrado e que possamos construir o universo em um novo ritmo”, diz o cantor Zé Ricardo, que compôs a faixa, que traz além dos artistas citados, as vozes de Tico Santa Cruz, Gaby Amarantos, Projota, Rael, Maria Rita, As Bahias e a Cozinha Mineira e Tony Bellotto.

A faixa tem um arranjo moderno e abusa dos ritmos brasileiros, como afoxé da Bahia, a guitarrada do Pará, o maracatu de Pernambuco, com batidas eletrônicas e muita percussão. “A música começa com os sons da floresta e vai se transformando, lentamente, nos ritmos, por meio do assovio, que entra de forma representativa, como o sopro da alma”, garante Zé Ricardo.

Neste novo espaço, a parceria do Rock in Rio com a Natura irão convidar o público a refletirem sobre um mundo melhor e mais bonito, além de criar a oportunidade de entrar em sintonia consigo mesmo, com os outros e com o mundo ao redor a partir da arte e da tecnologia. As sessões acontecerão durante o festival e terão duração de ceca de 20 minutos. A aração é cheia de música, efeitos cenográficos, 5 mil metros quadrados de projeções, onde público e imagens interagem em uma experiência sensorial surpreendente. No momento final, haverá ainda uma leitura na voz da atriz Fernanda Montenegro.

“A canção tem o objetivo de levar a uma viagem para dentro de cada um, para que as pessoas encontrem seu ritmo próprio e não aquele imposto pela enxurrada de informações que recebemos. Ela contextualiza o nosso propósito, que é dar às pessoas uma oportunidade para se ressincronizarem, para que elas possam estar bem, para que elas possam restabelecer contato com coisas com as quais fomos perdendo a conexão: os ciclos da natureza, a relação com as outras pessoas, a atenção ao ritmo natural do nosso corpo”, explica Marcello Dantas, curador da Nave.

Escrita por Otavio Pinheiro

Apenas mais um jornalista apaixonado por cinema e papelarias.

Backstreet Boys farão três shows no Brasil em 2020

Taylor Swift tem casa invadida mais uma vez, segundo TMZ