“O Rappa nunca tem fim”‘! Último show da banda durou mais de 3 horas

Os cariocas de O Rappa estiveram no palco do Jeunesse Arena na Barra da Tijuca, Rio, na noite desse sábado (14). O show de encerramento da turnê de despedida “Nunca tem fim” foi aberto pelo grupo de reggae Ponto de Equilíbrio por volta das 22:55h. A previsão do início da grande atração do evento era para a meia-noite, mas os ‘meninos’ d’O Rappa entraram às 1:30h – “Vocês estão com muita pressa, isso aqui vai até sete horas da manhã”, avisou Marcelo Falcão, vocalista da banda. Não foi até às 7, mas foi até às 5!

A formação quase original caminhou junta por 25 anos e, por isso, os sucessos dos anos 90 e os do último álbum se misturaram no setlist. E que setlist! Foram 3:30h tocando os hits de uma das bandas mais consagradas do cenário do Rio, com muitas críticas ao abuso policial, ao racismo e à desigualdade social. Ao promover o até logo de O Rappa, o guitarrista Xandão declarou: “Parar está sendo uma decisão unânime e de muita maturidade. Entendo que todos devemos inclinar nossos esforços para mostrar aos nossos fãs novos projetos, álbuns e parcerias. O público terá muito para se deleitar e descobrir em cada um de nós, individualmente, o que soava como um todo”.

Muitos fãs vieram de outras cidades prestigiar os músicos. Falcão perguntou ao público quantas pessoas eram de fora e se surpreendeu com a quantidade de mãos levantadas – “vocês são doidos mesmo!”. Além de Marcelo, os demais integrantes não deixaram de agradecer os presentes no local. Um comunicado oficial foi publicado hoje (15) no site d’O Rappa. #PraSempreORappa. Confira na íntegra:

“Antes de mais nada, gostaríamos de agradecer todo o carinho de vocês nesses nossos mais de 25 anos de carreira.
Por prezarmos muito o nome O RAPPA e tudo o que ele representa na vida das pessoas, preferimos aguardar o fim de nossos compromissos profissionais para expressarmos nossa posição. Sempre respeitamos o palco, tentamos sempre resolver nossas divergências internamente. Infelizmente nossas diferenças estão sendo expostas publicamente e unilateralmente.
Não concordamos com ofensas ditas ao microfone, a outros integrantes da banda e ao nosso escritório e empresários.  Estas atitudes não condizem com as nossas letras, postura e modo de vida.
RESPEITO, HUMILDADE, AMIZADE e FAMÍLIA  são palavras que têm que ser praticadas diariamente com todos e não apenas escritas em letras de música.
Além disso, nunca compactuamos com os atrasos constantes de início dos shows.  Sempre achamos isso um desrespeito com o nosso público, equipe, contratantes e demais envolvidos.
Neste momento, NÃO EXISTE NENHUMA POSSIBILIDADE DE RETORNO DA BANDA aos palcos, muito menos esta suposta volta, informada erroneamente e sem qualquer fundamento.
Mais uma vez OBRIGADO, OBRIGADO e OBRIGADO por tudo.
Lauro, Lobato e Xandão”