in

“Olhos que Condenam” é a série mais assistida da Netflix nos Estados Unidos

O seriado é o mais visto da plataforma de streaming nos Estados Unidos desde sua estreia, no dia 31 de maio.

Vamos falar de racismo sim! A Netflix divulgou em suas redes sociais que minissérie “Olhos que Condenam” (When They See Us), dirigida por Ava DuVernay (“Selma”), se tornou a série mais assistida da plataforma de streaming nos Estados Unidos desde sua estreia, no dia 31 de maio. O serviço não mostrou nenhum número estatístico de audiência, mas compartilhou a informação em seu twitter.

“Olhos que Condenam tem sido a série mais vista na Netflix norte-americana todos os dias desde que estreou”, anunciou a empresa.

A diretora da produção Ava Duvernay, agradeceu a audiência via Twitter. “Em nome de todos os artistas que fizeram essa série, obrigada por assistir”, postou.

Estrelada por Michael K. Williams, Vera Farmiga, John Leguizamo e Felicity Huffman, “Olhos que Condenam” começa em 1989, quando cinco adolescentes negros, entre 14 e 16 anos do Harlem foram condenados injustamente pela mídia e depois duas vezes nos tribunais pelo estupro brutal de uma mulher branca e rica no Central Park, em Nova York.

A série retrata as 30 horas seguidas de tortura psicológica que os fizeram confessar o crime, levando-os a serem condenados, embora exames de DNA, roupas e outras provas físicas indicassem sua inocência. Uma das promotoras chegou a impedir pessoalmente que os menores vissem seus parentes ou advogados antes de confessarem, num franco abuso de autoridade.

Um dos detalhes que chamam mais atenção é que o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi quem atacou publicamente os garotos, ao publicar em 1989 um anúncio de página inteira no jornal The New York Times pedindo a volta da pena de morte no estado para punir os garotos, que eram inocentes. O caso real, que ficou conhecido como “Os cincos do Central Park”, e ocorreu há 30 anos. O crime só foi solucionado de fato em 2002, assim que o verdadeiro estuprador assumiu a culpa. O quinteto teve sua condenação anulada.

Somente em 2014, Kevin Richardson, Yusef Salaam, Raymon Santana, Antron McCray e Korey Wise tiveram seus nomes finalmente limpos e receberam uma indenização de US$ 41 milhões (R$ 158 milhões), maior valor pago pela cidade de Nova York em um caso policial. E logo após a estreia de “Olhos que Condenam” na Netflix, a promotora Linda Feirstein sofreu um linchamento virtual, devido aos relatos de como ela manipulou o caso, chegando a chamar os meninos de “animais.”

Além disso, a Netflix também disponibilizou uma entrevista conduzida por Oprah Winfrey. Chamado de “Oprah Winfrey Presents: When They See Us Now”, o especial traz a apresentadora conversando com os cinco homens condenados no caso real, e também o elenco e equipe da adaptação, para discutir a importância de contar essa história, o que mudou com o passar do tempo e também um pouco dos bastidores do seriado. A entrevista está disponível no catálogo do serviço mas, apenas conta com áudio e legendas em inglês.

O elenco conta com Jovan Adepo (“Um Limite Entre Nós”), Vera Farmiga (“Bates Motel”), Felicity Huffman (“Desperate Housewives”), Joshua Jackson (“The Affair”), Famke Janssen (“How to Get Away with Murder”), Jharrel Jerome (“Moonlight”), John Leguizamo (“Bloodline”), Niecy Nash (“Claws”), Chris Chalk (“Gotham”) e Blair Underwood (“Quantico”), entre outros.

“Olhos que Condenam” está disponível na Netflix.

Escrita por Rayane Moura

22 anos, jornalista em formação e ama aquilo que faz.

Terceira temporada de “Glow” ganha trailer inédito; assista!

TIDAL lança conteúdo exclusivo sobre Luísa Sonza; vem saber mais!