RESENHA | O Despertar do Lírio (Flores da Temporada #2) – Babi A. Sette

O Amor versus O Espetáculo das Aparências

Despertar do Lírio fala sobre muitas coisas. Vingança, desejo, honra, bondade. Voltamos a sociedade londrina de 1845, palco do – agora- antecessor ‘A Promessa da Rosa’ é a mesma velha conhecida: hipócrita, movida pelas aparências e prontinha pra julgar o outro sem saber de todos os fatos. Mas aqui, esse é o ponto central da narrativa.

‘Despertar’, de fato, começa antes da primeira página: ambos os protagonistas – Líllian Radclife e Simon Owen carregam pesados fardos de seus passados muito antes de encontrarem um ao outro. Além da fama advinda desse passado. Ele, um libertino assassino. Ela, uma recatada viúva. Como lidar com essa ‘bagagem’ e deixar o passado aonde ele pertence é o maior desafio do casal.

Portanto, nós não conhecemos a Líllian e o Simon mas a “Viúva Radcliffe” e o “Barão Assassino” pra somente depois de muitas páginas, suas verdadeiras personalidades começarem a aflorar diante de nós – e da sociedade. As suas reais faces são reveladas pela paixão incomum que sentem um pelo outro quase instantaneamente. Ele busca vingança ao tentar destruir a reputação impecável de Lillian mas se vê envolvido pelos atrativos ‘não-físicos’ da nossa mocinha e ela, se sente fascinada pelo interesse que jamais recebeu na vida mas descobre pouco a pouco que as intenções de Simon podem não ser de todas puras, mas também podem não ser más.

Essa prerrogativa de pureza versus sujidade; decente versus indigno; certo versus errado; moralmente aceito versus repudiado publicamente transpassa toda a narrativa, inclusive com alguns personagens secundários. E é então que percebemos que as aparências – e o esforço para mantê-las é algo em comum entre os dois. E que pra se desfazerem das pre-concepções da sociedade terão que fazer um enorme esforço mas que é o único jeito de ser de fato, livres e felizes. (E em adicional, não ser MAIS UM ditando regra na vida dos outros)

Nessa narrativa, Babi A. Sette mais uma vez mostra seu talento em lidar com questões atuais em linguagem do século XIX e se no primeiro livro ela aborda diretamente o relacionamento abusivo, aqui ela aborda a(s) violência(s) cometida(s) contra a mulher – as pequenas e as grandes, as públicas e particulares, as sociais, morais e físicas. Entre uma e outra cena romântica – que com certeza fará o coração mais duro suspirar! – ela consegue nos fazer refletir sobre uma questão tão atual.

Menos arrebatador mas de muitas formas mais maduro que o primeiro da série, ‘O Despertador do Lírio’ envolve e apaixona aos poucos, até que se torna irremediavelmente um daqueles livros que sempre vamos querer reler, seja pra levantar o astral ou apenas pra matar a saudade de pessoas queridas (sim, eu disse “pessoas”, não “personagens”) e claro, que nos deixa ainda mais ansiosos pela “terceira flor”, ‘Não Me Esqueças’ – preciso dizer que a resenha será publicada em breve ou é óbvio a essa altura? 😉

Titulo: O Despertar do Lírio (Flores da Temporada #2)
Autora: Babi A. Sette
Editora: Novo Século
Série – Volume: 02
Edição: 1ª (15 de maio de 2016)
Número de páginas: 380
ISBN: 9788542807981
Ano: 2016

Escrito por: Ludmilla Fadel (@ludmilla_fadel)