Sangue de Jesus tem poder em “A Freira” | Crítica sem spoiler

O terror “A Freira” (The Nun) está prestes a estrear nos principais cinemas do país. Para conferir se o filme realmente está assustador, a nossa equipe assistiu o longa e pode atestar: vale muito a pena! A princípio, a grande estrela do elenco, Taissa Farmiga (Irmã Irene), já acalenta os corações dos fãs de Bates Motel e American Horror Story pela semelhança com a irmã, Vera Farmiga.

As duas estão no cast, sem contracenarem juntas, entretanto. Mas, para você que já acompanha os recentes sucessos também distribuídos pela Warner Bros., a cronologia e montagem dos universos é perfeita. A relação de “A Freira” com a saga de Invocação do Mal e Anabelle é de origem e nos faz perceber que é difícil combater o mal. Não é à toa que o spin-off nos deixa super curiosos para saber como surgiu uma das entidades que persegue o casal Warren, mais especificamente Lorraine (Vera Farmiga e Patrick Wilson, como Ed Warren).

O início já traz um “remember” de Invocação do Mal 2 (2016) para direcionar o espectador e, sim, tudo faz sentido. Desta vez, a figura de um padre destemido chama a atenção. Vivido por Demián BichirFather Burke é responsável por ‘investigar acontecimentos incomuns’ da Igreja Católica. É nesse contexto que membros importantes do Vaticano o convocam para uma espécie de missão com a quase freira Irene.

Em Londres, os dois se encontram e as demais pessoas ao redor da jovem questionam a determinação oficial vinda da cidade-Estado. Afinal, algo de realmente especial a Irmã deve ter. E tem mesmo! Como se não bastasse, mais um integrante se reúne a eles, mas agora não parece ser alguém escolhido. O francês-canadense “Frenchie” (Jonas Bloquet) dá o toque de humor que funciona muito bem com o suspense de “A Freira”.

Além das cenas horripilantes, o público dará boas risadas com o personagem que não é especialista em casos sobrenaturais. Após encontrar a Irmã Victoria (Bonnie Aarons) enforcada no Convento na Romênia, a vida do garoto nunca foi mais a mesma. Assim como ele, a vila de Biertan sente os impactos do demônio que assola a abatia e toda a população corre risco.

Ambientado no ano de 1952, a história baseada em fatos reais não deixa esquecer que todo mundo possui um passado que reflete na evolução da trajetória de cada um. Aquela com visões desde criança, considerada mentirosa e louca, aquele que sempre lutou contra as forças malignas e, claro, a pessoa que nunca foi importante no mundo. O trio não poderia ser mais significativo para Valak – A Freira.

Dirigido por Corin Hardy, as cenas do filme possuem boa fluidez e fazem os fãs acompanharem a trama com olhos bem atentos. A sucessão de embates entre o bem e o mal junto à lembrança de rituais clareia o porquê de tudo aquilo estar acontecendo. Ficou curioso? “A Freira” vai aos cinemas amanhã (6), fique ligado!

Assista o trailer:

Saiba mais informações sobre o filme aqui!