Woody Allen volta a falar sobre as acusações de assédio com ironia

O cineasta norte-americano Woody Allen mais uma vez zombou do movimento de atrizes contra os assédios na indústria cinematográfica. Desta vez, além de declarar não estar envolvido em nenhuma das acusações pelas quais passou, Allen disse apoiar o #MeToo. Na última segunda-feira (4), o artista contou ao programa argentino Periodismo para Todos em tom irônico que é o “garoto-propaganda” do movimento combativo.

Diante dos recentes casos de denúncia de grandes nomes de Hollywood, o aclamado diretor negou novamente ter abusado sexualmente da filha adotiva. Dylan Farrow relatou ter sido molestada com apenas sete anos de idade, no porão de casa. Ela voltou a falar da polêmica de mais de 20 anos e questionou a academia sobre ainda apoiar o pai, mesmo com a denúncia.

Woody, afirmou em defesa: “[…] Eu trabalhei com centenas de atrizes e nem uma única (atriz) – grande, famosa ou iniciante – já alguma vez sugeriu qualquer tipo de impropriedade em tudo. Eu sempre tive um histórico maravilhoso com elas”. E acrescenta: “[…]Todo mundo quer que a justiça seja feita. Se há algo como o movimento #MeToo agora, você torce por eles, você quer que eles tragam à justiça esses terríveis assediadores, essas pessoas que fazem esse tipo de coisa. E acho que isso é bom”.

Confira mais sobre outro caso de denúncias aqui, dessa vez do ator Morgan Freeman.

Também saiba mais sobre os protestos das artistas do cinema em Cannes.