in

Demi Lovato adia shows na América Latina

É real: os shows que Demi Lovato faria na América do Sul, com a turnê “Tell Me You Love Me” foram adiados. Detalhe: os shows no Equador, Costa Rica e Panamá tiveram que ser cancelados. A cantora justificou com “problemas de produção” e alegou estar de coração partido.

https://www.instagram.com/p/BhZfwPxlv_v/?utm_source=ig_embed

Os shows estavam marcados para o final desse mês e, no Brasil, as novas datas são: 19 de novembro em São Paulo (Allianz Parque); 21 no Rio de Janeiro (Jeunesse Arena); 24 em Recife (Classic Hall); e 27 em Fortaleza (Centro de Eventos do Ceará).

Segundo a produtora dos shows, os ingressos já adquiridos valem para as novas datas, mas CALMA, quem optar pelo cancelamento terá seu dinheiro de volta! O reembolso acontecerá de 19 de abril a 19 de maio, se liga:

1. Compras efetuadas pelo site www.eventim.com.br:
• Enviar o número do pedido que deseja cancelar para cancelamento@eventim.com.br inserindo no título do e-mail: ESTORNO DEMI LOVATO;
• O cancelamento será realizado automaticamente pelo sistema de venda EVENTIM;
• O estorno será realizado na sua totalidade, incluindo as taxas de conveniência e entrega;
• A solicitação do cancelamento será enviada para o banco emissor do cartão utilizado na compra. O valor será estornado na fatura de seu cartão, conforme prazos e regras das administradoras dos cartões de crédito;
• Uma vez cancelado, não há possibilidade de reversão.

2. Compras realizadas na Bilheteria:
• Compras efetuadas com cartão de crédito: a solicitação de estorno será enviada automaticamente às administradoras dos cartões utilizados no pagamento. O valor será estornado na fatura de seu cartão, conforme prazos e regras das administradoras dos cartões de crédito;
• Compras efetuadas em dinheiro ou cartão de débito: o valor será reembolsado em dinheiro no local onde o ingresso foi adquirido; Uma vez cancelado, não há possibilidade de reversão

Escrita por Andressa Binéli

Normani assina com nova divisão da RCA Records

Primeiro trailer de “O doutrinador” mostra que os corruptos não estão a salvo