Connect with us

Música

Entrevista | Bryan Behr lança EP “Capítulo 1” e videoclipe para faixa inédita; confira!

Publicado

em

O cantor catarinense Bryan Behr divulgou na última sexta-feira (15) o EP “Capítulo 1“, que já está disponível em todas as plataformas digitais. O projeto marca o início de uma série de lançamentos e conta com cinco faixas, incluindo as inéditas “Devagar” e “Eu sou sentimental”.

“É uma pequena parte de uma coisa muito maior. Eu sempre quis lançam álbum me arriscando pouco mais dentro de estúdio também. A gente decidiu dividir esse álbum, na verdade, em capítulos e a gente não sabe ainda quantos capítulos terão, mas esse capítulo é um primeiro passo. Eu acho que não só dentro de estúdio eu saí um pouco da minha zona de conforto também na hora de compor. Quem ouvir minhas músicas, quem ouviu o “A Vida é Boa”, que assistiu os clipes das músicas anteriores a esse EP vai perceber uma visão muito otimista e positiva de tudo, da vida, do amor… Então, nesse capítulo em especial na faixa “Eu sou sentimental” eu decidi também escrever sobre o lado caótico da vida acho que isso é super necessário também.”, diz o cantor. “Ele tem uma característica sonora um pouco diferente também. A gente decidiu explorar muito mais teclados, ambiências, vozes. Então, que me acompanha um tempo vai perceber a grande diferença do ‘Capítulo 1′”, finalizou.

O EP chegou acompanhado de videoclipe para a faixa “Eu Sou Sentimental”, que contou com direção de Belle de Melo, conhecida por seus trabalhos com Lagum, Melim, OUTROEU e Ana Gabriela. “Quem me acompanhava era acostumada eu ver eu pedalando naqueles lugares maravilhosos ou remando, ‘A vida é boa com você’, por exemplo. Então, de alguma maneira acho que me estalou a ideia de tipo ‘Cara, eu também preciso escrever sobre esse caos da vida’.”, diz o cantor, que procurou diferenciar este dos outros trabalhos em todos os sentidos.

“Primeiro, que é uma imagem interna, é numa agência de viagens, uma repartição e o meu lado furioso, vamos dizer assim, triste, chateado com as coisas muito diferente do que as pessoas estão acostumadas a ver nos clipes anteriores. Foi fantástico! Foi a primeira vez que eu contracenei com outras pessoas, foi a primeira vez que eu fui dirigindo no clipe, né. Eu tava muito acostumado a escrever roteiros e tal. Então, a gente fez esse trabalho junto da Belle de Mello, que é uma diretora fantástica, ela tem uma veia muito bem humorada nos clipes e que eu acreditei quando vi a primeira vez o trabalho dela que era o momento de trazer esse momento bem humorado assim pra dentro do meu trabalho também.”, conta Bryan, que espera que o clipe possa trazer identificação das pessoas.

Para ilustrar o projeto, Behr convidou a artista colombiana Vivian Pantoja, que trabalhou nas artes de capa do projeto e que também irá assinar as dos próximos EPs. “A Vivian tinha feito a capa do single de um grande amigo meu e quando eu bati o olho eu falei ‘Cara, o traço dela, a colagem, tudo esteticamente falando era muito que eu queria para o Capítulo 1’.”, contou o artista, que revelou que as reuniões tiveram que ser metade em espanhol, português e inglês. “Quando acertou a capa, quando a gente falou ‘Vivian, seja você, sabe? As ideias são essas, mas a gente nem vai falar muito. Seja você, faça o que o seu coração acha que é bom e bonito’ e ela foi e voltou com a capa do ‘Capítulo 1’ e tá fantástica. Eu fiquei apaixonado e ela também vai fazer direção de capa, vai assinar a capa dos próximos capítulos.”, disse.

Além das faixas nas plataformas digitais, Bryan expressa a vontade de produzir um livro onde o público poderia ver as músicas pela perspectiva do artista. “Eu queria escrever um livro cantado só que eu também queria que as pessoas descobrissem… Eu não sei nem se eu podia contar isso, mas eu tô contando. Eu queria que as pessoas descobrissem as músicas de uma perspectiva minha porque eu acho muito fantástico quando a pessoa ouve uma canção e ela interpreta quando ela bem entende. […] Só que eu também queria que você soubesse dessa história como se fosse primeira pessoa de cada música, por exemplo, não falar sobre ‘Ah, nesse dia eu olhei para Horizonte me inspirei’. Quem é a pessoa que eu to falando nessa música? O que eu vivenciei? Porque eu tô falando isso?’“, diz.

Embora considere o período de pandemia tem sido uma montanha-russa desde o início, Bryan possui uma visão bastante positiva sobre o momento e buscou sempre pensar em coisas boas. “Uma coisa é certa, o papel principal da arte é geralmente esse nesses momentos. Arte não é só para ser consumida quando a vida tá perfeita e maravilhosa. Os grandes artistas também fazem arte para que as pessoas se confortem nesses momentos de crise. […] Acho que é o papel do artista não trazer só conforto, mas trazer esse ponto de interrogação bem grande pras pessoas sabe para que as pessoas parem e repensem as suas atitudes, pensem se elas estão sendo de fato que elas querem ser e a gente não pode parar.”, disse o artista, que confessou ainda sentir muita falta dos shows.

“Eu posso lançar 790 músicas no ano, mas não vai suprir um show. Porque é maravilhoso gravar, é maravilhoso lançar, se descobrir no estúdio, mas é egoísta se for parar pra pensar porque a troca com o público é ali, sabe? Abraçar, é a pessoa se sentir abraçada com o seu olhar, é você sentir o carinho do público.”, finaliza Bryan dizendo que sente falta da energia dos shows e testar as canções, ver as pessoas cantando e etc.

O período de pandemia influenciou muito o artista a olhar para si mesmo e ver que precisava escrever sobre coisas não tão legais, mas que também fazem parte da vida das pessoas. “Durante esse período de isolamento eu olhei muito para mim eu me observei muito, sabe? ‘Bom, que tá acontecendo comigo, o que tá acontecendo com o mundo… Eu preciso escrever sobre isso também porque não dá para esperar ter um dia perfeito e falar sobre coisas perfeitas, o amor como é maravilhoso. Tudo isso é verdade, a vida ela não é perfeita, mas continua sendo boa. É necessário falar sobre as coisas que nos chateiam e as coisas que não são tão legais quanto essa visão utópica também do amor e da vida.”, revela o cantor.

Bryan Behr conta que não tem grandes expectativas para o “Capítulo 1”, mas espera que as pessoas escutem as novas canções e sintam a mensagem. “Se elas sentirem um décimo do que eu senti ouvindo as masters deitado no meu quarto no escuro do começo ao final, eu já vou estar muito feliz porque o que eu senti foi muito bonito.”, disse. Para os próximos meses, o artista trabalha nas canções e no cronograma de lançamento dos próximos capítulos, que formarão um álbum.

Trending