Connect with us

Entrevistas

Entrevista | El Paco lança single “Chumbo” e videoclipe inspirado na série “Dark”; confira!

Publicado

em

EL PACO CHUMBO

O cantor El Paco divulgou nesta sexta-feira (02) em todas as plataformas digitais o single “Chumbo”, o primeiro lançamento da carreira. A canção apresenta uma música com estética diferenciada, com elementos do trap e letra melódica.

“Essa música nasceu de um sonho, literalmente. Acordei com a letra na cabeça, a música e tudo foi muito rápido. Do momento em que coloquei tudo no papel até o momento que estava tudo pronto foi um processo de 3 horas. A poesia toda é uma reflexão sobre nosso momento de humanidade, sobre o que resta de nós depois de tanto tempo. Será que somos apenas uma coleção de palavras, intenções, imagens e objetos jogados em uma terra vazia?”, disse o artista.

A canção chegou acompanhada de videoclipe trazendo uma estética diferenciada, mas inspirada ao seriado “Dark”, um dos grandes sucessos da Netflix. “Essa é uma história engraçada, eu tinha recém acabado de maratonar as 3 temporadas de Dark, e quando passei para o diretor do clipe, ele também estava terminando. Eu nem me envolvi no processo de roteirização, mas encaixamos a ideia perfeitamente. Gosto de deixar as pessoas livres em suas artes, o Wesley é um grande profissional audiovisual e confio nele de olhos fechado, e quando ele voltou com esse roteiro eu não precisei nem pedir nenhuma alteração, só pirei e deixei rolar.“, disse. “Além da referência direta a algo que estávamos apaixonados, transmitia diretamente este momento de um sonho que acaba. Tanto que no final, o último frame é o desaparecimento por completo, uma curiosidade que só quem for bom de timing vai conseguir ver.”, completou.

O cantor descreve as referências como um “caldeirão”, já que mistura uma lista de gêneros e movimentos musicais desde muito cedo. “Cresci ouvindo muito rock, grunge e punk, na adolescência me envolvi com o movimento dark e depois abri a mente para tudo. Nos últimos tempos minha playlist tem rodado clássicos como The Cure e Joy Division, mas também tem gente nova como Ghostmane, Pouya, um movimento do dark trap que tem expandido muito.”, conta.

Sobre a mensagem que deseja levar aos fãs, o artista é direto: “A mensagem é, e deve ser, maior do que o mensageiro. Essa é minha verdade maior.“, começa. “Nossa atualidade é marcada por ídolos, as pessoas buscam essa idolatria, seja na música, no futebol, na religião ou política, você sempre vê que um novo ícone surge. Eu não quero que as pessoas se liguem por quem eu sou e sim pelo que eu estou tentando mostrar, que minha música cumpra o papel de não ter rosto, porque você não ouve uma foto.”, completa.

O cantor explica as dificuldades de lançar “Chumbo” neste momento de pandemia e garante estar muito satisfeito com o resultado. “Lançar música nesse período é incrivelmente difícil, como não temos shows, tours e nem nada disso rolando, muita gente está focando em lançar tudo que puder e aí o risco de se perder em um mar de boas músicas. Mas estou satisfeito com os planos que criamos aqui para este lançamento e fico feliz de ver nascer esse trabalho.”, diz Paco.

O artista completa dizendo que aproveitou esse tempo de pandemia para passar mais um tempo com a família, mas também para compor e se inspirar ainda mais. “Por mais que minha música tenha esse lado mais sombrio, eu sou uma pessoa muito positiva. Esse período tem sido bom para tudo, tenho ficado mais próximo da minha família, tenho composto bastante e acho que o mais importante, tem muita coisa para se falar nesse período. Toda grande quebra é também uma grande fonte de inspiração e ficar recluso é um ato de sabedoria, todos os grandes sábios e pensadores que sabemos são pessoas que se isolaram em algum momento.”

El paco prepara mais dois lançamentos até o final do ano, mas diz que, devido ao atual cenário mundial, prefere não pensar em um álbum no momento. “Tem mais dois lançamentos até o final do ano, e depois disso é baixar a cabeça, analisar o mundo e voltar a escrever e produzir. Querendo ou não, ano que vem tudo pode mudar de novo então prefiro não me pressionar a fazer um álbum agora com uma mensagem que pode ficar velha rápido.”, diz.

Trending