Connect with us

Entrevistas

Entrevista | Manola fala mais sobre “Smells Like Butterflies” e referências musicais

Publicado

em

manola slb

A cantora Manola lançou no último mês a canção “Smells Like Butterflies”, que marca a estreia da artista na música. O single chegou acompanhado de videoclipe super produzido gravado em casa durante o isolamento social e respeitando todas as normas de segurança recomendadas.

Embora só tenha lançado este ano, a composição já possui nove anos e surgiu depois de um sonho de Manola. “Eu compus ela em 2011 de um sonho que eu tive. Eu sonhei que eu estava em casa e estava rolando uma festa, com um monte de gente que eu não conheço. Estavam roubando minha bebida e tinha esse cara que cheirava borboletas e eu fiquei fascinada por ele. Quando eu acordei, aí eu compus. Saiu assim, meio que automático, instintivamente.”, comentou.

“Smells Like Butterflies” atingiu o TOP 4 dos charts brasileiros, superando lançamentos da banda de K-Pop BLACKPINK e até da cantora Dua Lipa. “Eu fiquei muito feliz. Para mim foi um sinal de que eu estou no caminho certo, que eu estou fazendo o que eu deveria fazer, que as pessoas estão reconhecendo isso. Eu me senti muito acolhida pelos meus amigos, pelo público. Um monte de gente que eu não conheço vem falando coisas lindas também. Então está sendo uma repercussão muito bacana. E foi no meu aniversário, então ainda foi um presentão pra mim.”, explica.

Compositora desde os oito anos de idade, Manola conta que no início tudo vinha muito na inspiração, surgia como poesia, mas atualmente está fazendo mais na transpiração. A cantora conta que pensa em como quer que a música seja, qual a mensagem ela quer transmitir e trabalha para construí-la.

“A primeira música que eu compus eu tinha 8 anos, né. Então, ao longo da vida era muito de inspiração, literalmente a música saia daquele jeito e eu gostava muito de escrever antes de dormir. Então, às vezes saía uma poesia, às vezes saía música, e é meio que por esse lado. Agora eu to fazendo mais na base da transpiração, que é tipo ‘aah, eu sei que eu quero fazer uma música de tal jeito’. Então eu já sei qual é o ritmo da música, eu sei qual a estrutura dela de estrofes, refrão. Então eu vou fazendo um pouco mais intencional, para um estilo que eu quero ir. Eu gosto de pegar uma batida, que eu fico na cabeça e me lembra de um assunto. E aí eu começo a compor em função desse assunto, várias coisas mais esquisitas e acaba saindo uma coisa legal, normalmente.”, contou.

A vontade de seguir a carreira de Manola veio da referências da infância, onde o pai, que colecionava CDs, apresentou à cantora uma série de artistas. “Minha família é super fora da indústria do entretenimento do geral. A galera é mais caretinha. Meu pai sempre amou música, colecionava CD, mas nunca trabalhou com isso profissionalmente. Eu sempre gostei de cantar, então de influência ele que me apresentou desde Alceu Valença, Beatles, toda essa galera quando eu era mais nova, que com certeza foi uma influência incrível. Mas ninguém da área não, ninguém trabalha profissionalmente.” , conta.

Como boa fã de Lady Gaga, Manola conta que ama a música “Sour Candy”, parceria da americana com o grupo de K-Pop Blackpink presente no álbum mais recente da artista, o “Chromatica”. “Eu amo a Lady Gaga, sou Little Monster, isso é um fato, uma grande influência. Mas também tem outras, eu gosto muito da Gal Costa, Os Tribalistas, DubDogz, tenho um pézinho no eletrônico também. Então, diria esses.”, explica a cantora sobre as referências musicais.

Sobre parcerias, a artista carrega a vontade de colaborar com grandes nomes da música nacional e até mesmo internacional. “Eu gosto muito do cenário pop do Brasil. Então, tem várias pessoas que eu adoraria fazer uma parceria, tipo a Iza, o Lagum, acho eles um máximo. Melim também, o Mar Aberto, tem vários que eu adoraria.”, diz a artista, que completa citando também Tony Bennett e Rita Lee.

Manola trabalha cada vez mais em canções autorais e conta que a principal mensagem que quer transmitir com o trabalho é de que a pessoa pode se sentir livre pra ser quem é. “A mensagem, o principal que eu sinto que é uma constante na maioria das minhas letras e que por mais que não possa soar mais nítido em ‘Smells Like Butterflies’, a minha mensagem é de a pessoa se sentir livre para ser quem ela é. Borboleta tem esse significado de liberdade, de transformação. Então eu quero sempre poder estimular as pessoas a olharem para dentro de si e quererem evoluir conforme as suas referências, sem ficar se comparando aos outros, sem deixar ninguém falar o que você tem que fazer e sim você ser o mais autêntico e genuíno possível.”, conta.

Para os próximos meses, Manola tem planos de realizar mais alguns lançamentos, mas ainda não nos contou muitas informações. No entanto, a artista revela que o próximo single está sendo cuidadosamente escolhido e que, provavelmente, será uma canção em português. Além disso, ainda este mês será lançado o remix de “Smells Like Butterflies”, que vai ganhar uma pegada mais eletrônica.

Trending