in

Lexa e Donas se envolvem em confusão por camarim no trio Burger King na 23ª Parada LGBTQIA+ de São Paulo

No último domingo (23) na Avenida Paulista, em São Paulo, aconteceu a 23ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+. Entre os artistas que se apresentaram estavam a cantora Lexa e o grupo Donas, formado pelas cariocas Ana, Karol e Lanor que protagonizaram uma confusão que levou à agressões, por conta de espaço no camarim. Em um post no Instagram, o grupo acusou a equipe de Lexa de agressão.

“Você fala uma coisa e faz outra. Sua equipe nos agrediu, estamos com as unhas machucadas, derrubaram uma de nós, fomos humilhadas pela sua mãe. (…) Onde está o amor que você diz pregar?”, publicaram as Donas em um comentário de Lexa que dizia “Viva o amor” no Instagram, veja:

Lexa, por sua vez, resolveu se pronunciar sobre o assunto postando em seus stories a sua versão dos fatos, que diz que a equipe do grupo soltou uma nota na mídia que não era verdade e com informações distorcidas “querendo mídia”, veja:

Através de uma nota para a imprensa, a equipe do trio Donas disse que tem todo um apreço por Lexa, e além de descreverem a tentativa da cantora de apaziguar a briga, relataram a confusão ocorrida entre membros das equipes e um pedido de desculpas de Lexa através de sua assessora.

“Assim que Lexa e sua equipe acessaram o espaço reservado para as atrações, um dos produtores dela exigiu a saída da nossa equipe. Esse mesmo produtor já havia entrado em contato anteriormente com o nosso empresário, Jun Junior, via WhatsApp, comunicando que o camarim seria exclusivo para Lexa, o que contrariava o acertado com a organização da Parada.

Em conversa com os produtores do trio ao final do nosso show, ficamos sabendo que esse mesmo produtor havia informado que o nosso empresário havia concordado com a liberação do camarim, o que, de fato, não aconteceu.

Durante a confusão no camarim, foi Lexa quem amenizou a questão, dizendo que não haveria problema algum em dividir o espaço, selando o acordo, inclusive, com um aperto de mão.

O acontecido no camarim acabou vazando para o blog do Leo Dias, que postou a nota, enquanto Lexa se apresentava. Ao retornar ao camarim com a filha e ver a repercussão dos fatos noticiados na imprensa, a mãe e empresária de Lexa, Darling Ferrattry, em uma atitude que não entendemos, sacou o celular, dizendo que resolveria a questão fazendo um stories, para mostrar que tudo estava bem. Nosso empresário se negou a fazer o clique.

O que aconteceu em seguida nos deixou atônitos: uma discussão sem fim, com acusações por parte da mãe de Lexa, que, se retirou do camarim com a filha. O bate-boca prosseguiu com parte da equipe de Lexa e evoluiu, lamentavelmente, para troca de agressões físicas, após um copo d’água ter sido jogado sobre nós e nosso empresário, empurrado. Duas de nós nos ferimos levemente e ficamos bastante abaladas, tendo inclusive, uma de nós, uma crise de choro.

Ao expormos tudo, a assessora Raíssa Saminêz pediu desculpas, disse que o produtor em questão já havia causado outros problemas e que colocaria a Lexa e sua empresária a par de tudo, para esclarecer todo esse grande mal entendido, o que esperamos que verdadeiramente aconteça.

Reafirmamos todo nosso apreço à Lexa, a despeito do infeliz incidente deste domingo (23/6). Sempre pregamos a sororidade e a união entre as mulheres, e nosso discurso não fica apenas nas palavras. Ele pauta nossas ações, é a nossa verdade.”.

ATUALIZAÇÃO

O programa “Fofocalizando”, do SBT, pediu para que as meninas da Donas explicassem a versão delas dessa história toda e Lanor ganhou um vídeo, que foi publicado no IGTV das meninas, contando tudo o que aconteceu. As meninas garantem que o problema nunca foi com a Lexa, mas sim com a equipe. Confira abaixo:

View this post on Instagram

Depois de sermos atacadas e humilhadas, o programa do SBT Fofocalizando nos pediu nossa versão dos fatos. Aqui está ele! Nossa questão nunca foi com a Lexa e sim com a equipe. Não ataquem sem saber, a verdade sempre aparece.

A post shared by DONAS (@donasoficial) on

Parada do Orgulho LGBTQIA+ em São Paulo contou com show internacional e grande público, saiba mais!

Com ao todo 19 trios elétricos, a 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo que é considerada a maior do mundo, reuniu mais de 3 milhões de pessoas neste domingo (23) na Avenida Paulista, segundo os organizadores. Os shows ficaram por conta de artistas como Mel C, Iza, Luísa Sonza, Gloria Groove, Aretuza Lovi, Pocah e muitos outros em diferentes trios.

Cantando músicas da carreira como Spice Girl, a ex integrante do grupo e única atração internacional no evento, Mel C era a atração mais esperada e animou o público com hits como “Wannabe”, “Two Become One” e “Say You Be There”.

O tema escolhido desse ano foi “50 anos de Stonewall”, um conflito que aconteceu em 1969 em uma bar nos Estados Unidos e foi um marco para o ativismo pelos direitos LGBT. Para a realização do evento, foram investidos pela Prefeitura de São Paulo R$ 1,8 milhão.

Além disso, marcas como Avon, Burguer King (trio no qual aconteceu a confusão entre Lexa e Donas) e Uber são patrocinadoras. Quanto a segurança, 60 viaturas e 300 homens da GCM, além de 80 bombeiros civis e 540 seguranças privados estarão a disposição do evento.

Para conferir mais detalhes da nossa cobertura da Parada, clique aqui.

Atração da Amstel, Iza arrasta a multidão da Parada do Orgulho LGBTQIA+ em São Paulo

“As Vozes do Funk LGBT” é o novo projeto da ONErpm