Connect with us

Crítica de Filmes

“Um Príncipe em Nova York 2” consegue reviver o clássico com muita eficácia e nostalgia | Crítica

Publicado

em

O novo filme de Eddie Murphy, o “Um Príncipe em Nova York 2”, chegou nesta sexta-feira (05) ao catálogo do Amazon Prime Video. A produção original da plataforma dá continuidade ao clássico lançado em 1988 e traz momentos de nostalgia, empoderamento e muita diversão.

Após os acontecimentos do primeiro longa, quando o até então Príncipe Akeem (Eddie Murphy) e o confidente Semmi (Arsenio Hall) foram a New York para encontrar uma rainha, o agora Rei precisa honrar as tradições da família e encontrar um sucessor para o trono, já que o pai está perto de falecer.

Com três filhas, fruto do relacionamento com Lisa (Shari Headley), a “Rainha de Nova York”, Akeem não possui nenhum herdeiro e precisa encontrar um marido para a filha mais velha. No entanto, o Rei foi surpreendido ao saber que também é pai de um filho homem, concebido quando foi aos Estados Unidos há anos. Agora, Akeem precisa retornar ao Queens para encontrar o recém descoberto filho Lavelle (Jermaine Fowler) e treiná-lo para assumir o trono.

“Um Príncipe em Nova York 2” é impecável em diversos quesitos e trabalha muito bem a nostalgia ao trazer flashbacks do primeiro longa para ilustrar alguns acontecimentos, além de muitos personagens icônicos e importantes da produção de 1988. O roteiro de Kenya Barris, Barry W. Blaustein e David Sheffield foi muito bem pensado e possui doses de humor, de drama, cenas de tirar o fôlego, mas acima de tudo se manteve atual e ao mesmo tempo bastante interessante.

Ainda falando sobre o roteiro, um dos pontos mais interessantes é que por mais que a história tenha sido iniciada há mais de 30 anos e este dê continuidade àquela trama, o texto em momento nenhum fica preso ao passado. Para uma experiência melhor ao assistir este, é aconselhável que o público reveja o clássico, pois muitas coisas do novo é costurado com o antigo, mas ainda assim o filme é bastante autoexplicativo e que cria um novo e encantador universo sozinho.

Além de Eddie Murphy, que conhece perfeitamente o personagem de Akeem e é sempre um talento nas produções, o longa é repleto de grandes momentos e conseguiu fazer os outros também brilhassem. Meeka (Kiki Layne), Omma (Bella Murphy, a filha de Eddie) e Tinashe (Akiley Love), que são as filhas do Rei, são algumas das personagens mais incríveis. Logo de início elas já possuem uma cena chave que demostra muito o poder e a entonação que o filme traria nas cenas seguintes. Mary Junson (Leslie Jones), que interpreta de Lavelle, é outro personagem cheio de momentos divertidos e muito carismática.

Um dos pontos mais divertidos do filme é assistir o envolvimento de Akeen com Lavelle e como as interações ajudam o Rei a compreender aquela nova realidade. Esse relacionamento ajuda até mesmo na tomada de decisões como Rei, já que aquele garoto ousado que existia há anos e que se arriscou em Nova York na busca de uma rainha parecia não estar mais lá. No entanto, a história aqui se repete e Lavelle é tão ousado – ou mais! – que o pai e isso acaba moldando um enredo ainda mais interessante e novo.

Com uma conclusão muito agradável, “Um Príncipe em Nova York 2” se consolida como uma produção que soube perfeitamente reviver um universo clássico criado há anos e ainda assim se manter atual e fiel até mesmo ao que se propôs até mesmo no primeiro filme. Muito divertido e repleto de momentos marcantes, o longa é uma ótima pedida para aqueles que assistiram o primeiro filme, mas também para os que vão conhecer a história agora.

Trending