in

Ximbinha é acusado de agredir ex-parceira de palco; guitarrista se defende

Imagem: Reprodução/TV Record

Não é notícia velha, é mais um novo caso. O guitarrista Ximbinha, fundador da extinta Banda Calypso, foi acusado de agredir a cantora Carla Maués, ex-vocalista do Cabaré do Brega, projeto idealizado pelo músico. É a quinta acusação de agressão contra o paraense. 

Em entrevista ao programa “Balanço Geral” exibida nesta quarta-feira, Carla Maués afirmou que foi xingada com “os piores palavrões” e que as ofensas aconteceram na frente de sua filha. “Tive que conviver um ano inteiro com um homem dizendo que minha voz é feia, que sou feia, que sou gorda”, afirmou a cantora. 

Em live realizada pelas redes sociais, o cantor e ex-deputado paraense Wlad Costa afirma que a situação ocorreu em estúdio localizado em Belém do Pará. Ele relata que a cantora está com problemas psicológicas em decorrências do ataque. “O que você tem contra as mulheres, cara? Vai se tratar. Seu psicopata!”, acusou. 

O caso vem à tona cinco dias depois de Carla Maéus ter anunciado o desligamento do show liderado por Ximbinha. Sem revelar os motivos, a vocalista informou apenas que seguirá em carreira solo. 

Carla acompanha o guitarrista desde o projeto X-Calypso, também extinto. A parceria entre os dois vem de longa data. Ela é uma das compositoras de “Dançando Calypso”, mais conhecida como “Cavalo Manco”. A música lançada em 1999 se tornou um dos maiores sucessos da banda que chegou ao fim em 2015. 

Histórico de violência 

Ximbinha (ainda estilizado como Chimbinha) se separou da cantora Joelma em 2015 em um divórcio conturbado e superexposto. A separação resultou no fim da Banda Calypso após 16 anos de atividades. A ex-vocalista acusou o então marido de traição, agressão física e desvio de dinheiro. O música é proibido judicialmente de se aproximar da ex-esposa. 

No mesmo ano, o ex-dançarino do Calypso, Leicy Sposito, veio à tona para acusar Ximbinha de agressão física. Segundo relato do bailarino, ele teria levado um soco do guitarrista em 2013 após uma discussão sobre tempero de arroz. Além disso, Leicy alega ter sido ridicularizado com frequência por conta da orientação sexual.

Em 2016, Thábata Mendes foi anunciada como substituta de Joelma, mas ficou ao lado do guitarrista por apenas três meses na banda X-Calypso. Mesmo tendo optado por cordialidade na separação profissional, alegando apenas diferenças conceituais, o jornalista Leo Dias afirmou que a saída se deu após uma tentativa de agressão por parte de Ximbinha. Na ocasião, ele teria ficado irritado com a demora da jovem para deixar o camarim. 

Em 2017, a cantora Leya Emmanuelly, que passou a integrar a X-Calypso com a saída de Thabata, divulgou um áudio onde é chamada de “puta” por Ximbinha por conta da roupa com a qual se apresentou em um programa de televisão. 

“Histórias infundadas” 

Ximbinha enviou agora à tarde uma nota à imprensa em que se defende das acusações de Wlad Costa, a quem chama de “contador de histórias infundadas” e “agressor de professores”. Confira o comunicado na íntegra: 

“Em relação ao vídeo veiculado pelo vocalista aposentado da falida Banda Wlad nas redes sociais, informamos que o Projeto Cabaré do Brega tomará todas as medidas judiciais cabíveis e processará o contador de histórias infundadas e agressor de professor, Wladimir Costa, pelas acusações infundadas feitas ao grupo Cabaré do Brega. Ele será processado por calúnia, difamação, injúria, constrangimento, dano moral, prejuízo comercial e ameaça. Todos os procedimentos neste sentido estão já estão sendo instaurados. 

Aproveitamos a oportunidade para divulgar a nova cantora do Cabaré do Brega. Será a amapaense Jessica Rodrigues, de 28 anos, que irá agregar a sua voz e o seu talento a este projeto de sucesso. A estreia de Jéssica será no próximo sábado, dia 18, em um show no Maranhão e na segunda, 20, ela sobe ao palco no Pará.

Ximbinha”

Manu Gavassi pode participar do Big Brother Brasil, diz portal

Apostando no Carnaval, DJ Ktryna lança “Making Summer Love”; ouça!