Connect with us

Música

Cantoras trans quebram barreiras e conquistam espaço no cenário musical

Integrantes do trio As Baías, Raquel Virginia, Assucena Assucena e a cantora Urias mostram seu talento e conquistam espaço no cenário da música brasileira

Published

on

urias as baias visibilidade trans
(Foto: Assucena Assucena e Raquel Virgínia - Saullo Moreira / Urias - Fe Liberti)

O Brasil comemora no dia 29 de janeiro o Dia Nacional da Visibilidade de Transexuais e Travestis, em meio ao fortalecimento recente de discursos e medidas contrárias à população LGBTQIA+, capitaneados por representantes eleitos no país. O Brasil é o país que mais mata pessoas trans no mundo, posição que continuou a ocupar em 2020, segundo um levantamento divulgado pela ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais).

Raquel Virginia e Assucena Assucena, que integram o trio As Baías ao lado de Rafael Acerbi, são cantoras trans, fiéis à própria essência e a comunidade LGBTQIA+ que representam trazendo reflexões sobre preconceito, luta por espaços e pelo reconhecimento, com o objetivo de elucidar que tal comunidade não deve e não pode ser apenas conhecida por seus algoritmos tristes e violentos, o trio quer mostrar que as trans estão sim no poder, brilham muito e podem tudo.

No trabalho mais recente do trio, o álbum visual “Drama Latino”, o projeto musical foi trabalhado separadamente single a single durante o segundo quadrimestre do ano passado e contou com participações de Cleo, Kell Smith, Linn da Quebrada, Xand Avião e por fim, Luísa Sonza. Com cinco faixas, “Drama Latino” traz a mistura de estilos musicais latinos, desde o pop ao brega funk.

“Numa sociedade saudável, se um grupo é mais atacado, todos nós devemos parar e refletir os motivos para que aconteça a mudança. O dia da visibilidade trans serve para refletirmos os motivos pelos quais temos um grupo tão atacado como o das pessoas trans. É o dia para dar luz a nossa dignidade. Que é a dignidade humana.”, diz Raquel Virginia.

“Nós não nascemos no corpo errado, nós não somos um pecado, nós não somos uma vergonha. Nascemos com uma missão linda de expandir liberdade e amor e de conquistar espaços para transformar esse mundo num lugar efetivamente de respeito e paz. O lugar de pessoas trans é o lugar no qual queremos estar.”, completa Assucena Assucena.

Urias iniciou sua carreira como modelo nas passarelas dos eventos de moda, participou do SPFW e Casa de Criadores, estampou a capa digital da Glamour Brasil em 2020 e do manifesto “Moda com Propósito” da Vogue brasileira. A incursão pela cena fashion a fez ser escolhida como uma das embaixadoras latino-americanas da marca Adidas. No entanto, sua veia rítmica começa a pulsar em outro campo: a música.

Após gravar uma série de covers, Urias foi se preparando para se lançar como cantora com o desejo de causar estranheza estética, uma sonoridade pouco habitual ao mercado fonográfico e letra que expõe a vivência de um corpo trans na sociedade brasileira, lançou o single “Diaba”, que alcançou mais de nove milhões de views no Youtube. Ser mulher transexual no país onde mais se mata pessoas transgêneras deixam poucas possibilidades de escolhas se não o enfrentamento.

“A gente é livre para ser quem a gente quer? O dia da visibilidade trans é um momento de reflexão, de reafirmarmos nossa existência. Nossa luta é construída diariamente. A gente não quer mais viver com medo.”, disse Urias.

A origem do dia da visibilidade trans:

O Dia Nacional da Visibilidade de Transexuais e Travestis é comemorada desde 2004, a data foi fixada pelo lançamento da campanha “Travesti e respeito”, elaborada por lideranças históricas do movimento de transexuais no país em parceria com o Programa Nacional de DST/Aids, do Ministério da Saúde.

Em 29 de janeiro de 2004, a campanha foi um marco por ter levado 27 transexuais e travestis aos salões do Congresso Nacional, em Brasília. Em anos anteriores a 2019, o governo federal divulgou ações e se pronunciou em nota sobre a data. Alguns dos principais direitos adquiridos pela população trans no Brasil ao longo da última década e meia, e também algumas limitações ou ameaças recentes a essas conquistas.

Aspectos que mudaram desde 2004:

Uso do nome social

Reconhecido ao longo dos últimos anos em diferentes instâncias do Executivo e Judiciário, o direito de pessoas trans serem tratadas pelo nome com o qual se identificam foi legitimado por uma decisão histórica do Supremo Tribunal Federal em 2018. Ela garantiu a possibilidade de alteração do sexo e do nome presentes no registro civil sem obtenção de autorização judicial. Na prática, isso significa que o registro pode ser alterado sem a pessoa entrar na Justiça e sem a realização de cirurgia de redesignação ou de terapias hormonais, antes um requisito para a mudança.

Cirurgia de Redesignação Sexual no SUS

A cirurgia realizada por parte das pessoas trans para adequar as características genitais ao gênero com o qual se identificam é realizada pelo Sistema Único de Saúde desde 2008. Isso a tornou mais acessível, mas o número de procedimentos realizados por ano ainda não atende à demanda: a fila de espera é de quase dez anos. O Conselho Federal de Medicina divulgou em janeiro de 2020 uma resolução que reduziu de 21 para 18 anos a idade mínima para a realização da cirurgia. No estado de São Paulo, uma emenda a um projeto de lei quer proibir terapias hormonais para jovens trans menores de 18 anos. Atualmente, o projeto está na etapa de avaliação pelas comissões da Assembleia Legislativa. Os medicamentos que bloqueiam a puberdade são usados atualmente como parte do processo de redesignação sexual.

Cotas

Por uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral, travestis e transexuais mulheres passaram a poder se beneficiar da cota que estabelece a obrigatoriedade mínima de 30% de candidaturas femininas por partido nas eleições. Também foram criadas cotas para que estudantes trans acessem as universidades públicas, mas a política ainda esbarra na alta evasão escolar por parte dessa população no ensino básico. Em 2019, a Unilab (Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira), instituição federal com campi no Ceará e na Bahia, acabou suspendendo e, por fim, anulando seu processo seletivo específico para candidatos trans e intersexuais após o Ministério da Educação intervir por meio da Procuradoria Geral da União.

Na Política

As eleições de 2018 foram marcadas por um número recorde de candidaturas de travestis ou transexuais: foram mais de 50, segundo levantamento da Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais). O número foi dez vezes maior em relação a 2014. Três mulheres trans se elegeram para as assembleias estaduais: Erica Malunguinho, primeira transexual eleita deputada estadual no Brasil por São Paulo, e outras duas em mandatos coletivos, Erika Hilton, da Bancada Ativista, também em São Paulo, e Robeyoncé Lima, das Juntas, em Pernambuco.

• • •

Agradecemos pela sua visita! Se gostou desta notícia, compartilhe com alguém que goste e nos ajude a chegar em mais pessoas. Acompanhe mais conteúdos exclusivos da Poltrona Vip no Twitter, Facebook e Instagram. Além disso, siga também no Google Notícias para não perder nada e se inscreva em nosso canal do Youtube.

Se você quiser falar com a gente para envio de pautas, anunciar ou comunicar algum erro em nossas matérias, mande email para [email protected] e ficaremos felizes em te atender. Agora, se quiser fazer parte da nossa equipe de colaboradores, clique aqui para se inscrever.

Últimas Notícias

Lexa Lexa
CarnaVip2 horas ago

Lexa agita cariocas com bloco de Carnaval com a Será Q Abre? neste domingo

Gaby Amarantos, Jojo Todynho e Hitmaker também foram anunciados como artistas convidados

Ana Furtado Ana Furtado
Televisão3 horas ago

Warner Bros. Discovery anuncia Ana Furtado como Embaixadora das Premiações de 2023

A Warner Bros. Discovery anunciou nesta terça-feira (31) a contratação da atriz e apresentadora Ana Furtado como Embaixadora das Premiações,...

carol biazin reversa carol biazin reversa
Música5 horas ago

Carol Biazin conta uma história de amor em atos no disco “REVERSA”

Carol Biazin lançou nesta quarta-feira (01) o tão aguardado “REVERSA”, o segundo álbum da carreira. O projeto, que está disponível...

iza gueto single iza gueto single
Famosos6 horas ago

Quem ama, apoia! IZA é vista em estádio torcendo pelo namorado Yuri Lima

O que cantores e jogadores de futebol têm em comum? Ambos lotam estádios para que o público possa vê-los atuar....

key alves bbb23 key alves bbb23
Big Brother Brasil10 horas ago

BBB23: Key Alves e Ricardo discutem por banho: “Vai brigar por isso?”

O clima esquentou entre Key Alves e Ricardo nesta quarta-feira (01) no BBB23 e os brothers acabaram brigando por conta...

anitta anitta
Música11 horas ago

Interesse em Anitta é maior em comparação a outros indicados do Grammy Awards

Aposta do público e da crítica na cantora ao prêmio se destaca em relação a outros artistas como Latto e...

michel telo bem sertanejo 1 michel telo bem sertanejo 1
CarnaVip12 horas ago

Bloco Bem Sertanejo, de Michel Teló, está de volta ao Carnaval de São Paulo

Durante dois anos, Michel Teló comandou o bloco “Bem Sertanejo”, durante o Carnaval, em frente ao Parque do Ibirapuera. Para a edição...

beyonce 1 beyonce 1
Shows15 horas ago

Beyoncé revela primeiras datas da turnê mundial do disco “Renaissance”

Beyoncé anunciou nesta quarta-feira (01) a turnê mundial do “Renaissance”, o sétimo disco da carreira. A novidade foi revelada por...

bbb23 larissa bbb23 larissa
Big Brother Brasil18 horas ago

BBB23: Larissa comenta sobre eliminação de Gabriel: “Ficou o tempo necessário”

Após a eliminação de Gabriel no BBB23, os brothers se reuniram na madrugada desta quarta-feira (01) para comentar sobre o...

Mc Guime Mc Guime
Notícias19 horas ago

BBB23: Mc Guimê analisa estratégias de jogo após eliminação de Gabriel: “Burrice”

Após a eliminação de Gabriel na última terça-feira (31) do BBB23, alguns brothers começaram a reavaliar as estratégias no jogo....