in , ,

Entrevista | Bruna Vieira fala sobre novo lançamento e adaptação dos livros para projetos audiovisuais; confira!

Bruna Vieira lançou em 2008 o blog “Depois dos Quinze” e desde então vem ganhando cada vez mais espaço e reconhecimento no meio literário. Dona de uma linguagem muito própria e focada de falar com um público mais jovem, a autora já possui sete livros e está prestes a lançar mais um, além de ser muito ativa nas redes sociais.

Bruna conta que ninguém sabe de muita coisa sobre o novo livro, além do pequeno spoiler que já deu nas redes sociais. O projeto irá se tratar de um livro de poesias e o video teaser divulgado pela autora é de um poema muito importante para ela. “É um vídeo de um poema que eu escrevi. E ta no ar e é um poema bem importante pra mim e esse é o primeiro texto do livro.”, confessa. “É mais adulto. Eu fiquei alguns anos sem lançar livro e aconteceu muita coisa na minha vida, eu amadureci bastante. Então, as pessoas vão notar uma diferença do meu último livro pra esse.”, finaliza.

Durante a Bienal do Livro, Bruna participou de uma conversa na Arena #SemFiltro que tinha como tema “Lendo a Juventude”. A autora conta que gosta de trabalhar com o público jovem porque, além da energia que eles colocam nas coisas ser muito grande, acredita que consegue criar um diálogo maior com este público.

“É muito muito incrível. Eu gosto de trabalhar com o público jovem porque sinto que quando a gente é adolescente pré-adolescente tem uma faisquinha dentro da gente que acaba se apagando na vida adulta poque a gente tem que pagar conta, filho, família, muitos problemas e eu sinto que ter essa conexão com eles faz com que a minha faísca nunca se apague, mas também que eu me lembre da importância de continuar acreditando em algo que é muito importante pra você seja os seus sonhos profissionais, enfim, e os adolescentes e jovens colocam muita energia em tudo que eles amam então é diferente. E nessa fase normalmente você está tendo experiências pela primeira vez então é o primeiro fora, primeiro emprego, primeira vez morando sozinho e nem todo mundo tem um diálogo possível em casa ou com amigos. Ela acaba que o livro ou podcast ou texto no blog é esse diálogo. Então, fico muito feliz de poder começar conversas por ai, conversas saudáveis, que ajudam as pessoas.”, conta.

Bruna expressou também a vontade que tem em ver uma de suas obras sendo adaptadas em projetos audiovisuais, assim como as de Thalita Rebouças, por exemplo, que são um verdadeiro sucesso. “Eu escrevi dois romances e é uma história muito legal que tem viagem no tempo e tem algumas produtoras conversando comigo sobre a possibilidade de fazer uma série ou filme. Eu ainda não escrevi o terceiro. Então, eu preciso lançar o terceiro, mas com certeza é algo que eu quero muito eu sou viciada em filmes e séries ter um livro meu adaptado seria um sonho”, revela a blogueira sem dar muitos detalhes.

“Eu amo essa mulher! Foi uma honra poder lançar um livro com ela. Quando eu era adolescente falavam “ah, uma cantora jovem que vem na sua cabeça” era Thalita. Quando a editora me contou que teria esse projeto eu sabia que seria com uma escola não só profissional, mas de vida mesmo. Energia, o jeito de lidar com as pessoas, ela é uma inspiração!”, conta Bruna sobre o livro “Um ano inesquecível”, que escreveu em parceria com Thalita, Paula Pimenta e Babi Dewet.

Na última semana de Bienal do Livro o evento foi marcado pela decisão de Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, de tentar censurar obras com conteúdo LGBTQIA+ da feira por considerar impróprias às crianças. Crivella determinou que as obras fossem embaladas em sacos pretos e sinalizadas para que o leitor soubesse do que se tratava. O ocorrido logo criou uma grande proporção dentro e fora da Bienal, levando a protestos e manifestações contra a decisão.

“Eu sinto que toda essa repercussão tudo o que aconteceu aqui é um lembrete pra todos nós de como alguma forma a gente vive numa bolha. Assim, na minha bolha a gente tá evoluindo, mas quando você sai e dá um passo pra fora você percebe que não, que na verdade a gente está dando passos pra trás. Foi revoltante, mas eu achei que foi lindo e eu fiquei arrepiada em ver as pessoas andando e se unindo pra falar sobre isso eu acho que bienal e um lugar que muitos autores tem ideias de livros, tem coragem de falar sobre temas importantes, então assim é eu não consigo nem imaginar como uma pessoa se sente que tava criando coragem para falar com os pais sobre esse assunto e de repente ele vê essa manchete tipo “o prefeito da minha cidade removeu… oi?! é um absurdo e eu to muito feliz em como as pessoas estão reagindo e em como isso virou um debate. Então, a gente tem que usar o fato de ter acontecido isso para falar sobre isso. Eu espero que seja tema de Enem, seja falado na escola porque esse é só o começo do debate.”, comenta Bruna sobre o ocorrido.

Quanto aos planos para o futuro, Bruna conta que continua escrevendo o livro de poesia, além de trabalhar nos podcasts e videos no Youtube. “Eu lancei dois podcasts recentemente então eu continuo semanalmente lançando podcasts sobre assuntos diversos do cotidiano, final do ano eu espero que até lá eu tenha terminado meu livro de poesia e eu continuo na internet fazendo conteúdo.”, conta. O legal da internet é que não tem muita previsão, assim. Semana que vem eu sei que vou postar, na outra não. Isso é bom porque eu tenho uma liberdade muito grande, sabe?”, finaliza.

Entrevista | Matheus Rocha fala das inseguranças de um ansioso no livro “Não Me Julgue Pela Capa”

Revelação do rap, Couti lança clipe de “Vulgar”