Connect with us

Entrevistas

Entrevista | Davi Bandeira fala sobre amor pela música e dos singles “Vai Passar” e “Me Diz”

Publicado

em

Foto: Divulgação/auri jr.

O cantor e compositor Davi Bandeira é uma das principais apostas do pop nacional e se destaca pelas canções autorais, onde fala sobre as vivências do cotidiano. Com versos que causam identificação, o artista vem trabalhando no novo disco da carreira e lançou recentemente os “Vai Passar” e “Me Diz”.

Aos 30 anos, Davi conta que o amor pela música surgiu quando ainda era criança e, embora não tivesse referências dentro de casa, a infância sempre foi repleta de arte. “O meu amor pela música ela veio desde pequeno, mas eu não tive referência dentro de casa, sendo muito sincero. Minha família não tem ninguém ligado a arte, no entanto, desde novinho mesmo tive muito contato.”, disse o artista. “Eu morava tipo numa comunidade e uma das coisas que a gente fazia pra se divertir, pra brincar era uma um projeto social que tinha. Aí lá tinha teatro, tinha música, tinha aula de circo. Então, já iniciou aí o meu contato com a arte. Naquela época tipo, no início dos anos 2000, era muito forte esse lance também de grupo cover de banda. Aí eu cresci com essa vontade de querer levar aquilo pra minha vida, sabe? De querer ser um artista enquanto profissão mesmo.”, completou. 

O cantor conta ainda que teve um contato maior com música na época da escola, mas revela que sentiu que queria seguir como profissão quando iniciou a faculdade. “E na adolescência tive um contato um pouco maior na escola que eu participei de bandas, mas tudo era muito amador mesmo e eu só vim realmente descobrir a profissão do artista mesmo quando eu fiz faculdade de teatro e aí quando eu comecei a faculdade que aí eu tive realmente contato com profissionais da área de fazer artístico e conhecendo o que era ser profissional, o que era trabalhar com a arte. Era muito diferente do que eu acreditava mas muito bom também. Mas foi basicamente isso assim. Fora tudo isso que eu falei, no pessoal eram as minhas referências da televisão, as músicas, os artistas que eu gostava.”, finalizou.

“Ariano”, EP autointitulado e o sucesso de “Seu Boy”

Em 2018, Davi lançou o primeiro disco da carreira, o “Ariano”, que trouxe 13 faixas. O projeto trouxe as primeiras composições do artista, que na época ainda não tinha tanta experiência, mas já possuía muita vontade e mensagens que gostaria de transmitir. 

“Posso dizer que ele [o disco] é o resultado dos meus primeiros anos de experimento, sabe? Assim, eu gravei a primeira música ali entre 2015, 2016 e joguei pros meus amigos, mostrei pras pessoas, não era tão profissional. […] Foi nesse intervalo de 2016 e 2018 que eu comecei realmente a experimentar gravar músicas, foi meu primeiro contato realmente entrando em um estúdio de forma profissional e aí eu fui juntando tudo isso. Não era tipo ‘Ah, eu vou lançar meu primeiro álbum.’, não tinha essa maturidade. ‘Nossa, vamos fazer uma promoção do primeiro álbum’. Eu juntei tudo e coloquei no ‘Ariano’.”, completou. 

O título do projeto faz referência ao signo do artista, Áries, e Bandeira conta que escolheu este nome porque queria algo que lhe definisse. “Eu sou sou ariano, né. E aí sou um pouco ligado a astrologia, eu não sou tão ligado, mas eu falei ‘Não, tem que algo que me defina’. E aí coloquei ‘Ariano’.”, explicou. 

Dando continuidade aos lançamentos, Davi lançou em 2019 o EP autointitulado, que trouxe seis canções. O projeto, além de ter sido concebido de uma forma diferente e refletir um outro momento na carreira do artista, que havia acabado de se mudar para São Paulo, também serviu para que mais pessoas o conhecessem.

“Eu mudei pra São Paulo no segundo semestre de 2018 e aí sim eu comecei a execução da música de forma mais profissional. As pessoas começaram a me conhecer dentro do nicho que eu estava entrando e eu comecei a ter contato maior, então eu passava muito tempo dentro do estúdio e dessa vez eu comecei a explorar mais.”, comenta o cantor, que faz uma comparação com o antigo lançamento. “É diferente do ‘Ariano’, que o ‘Ariano’ tipo eu queria uma coisa mas ainda não sabia exatamente como que eu queria fazer, sabe? Eu estava tipo aceitando umas coisas que ia chegando porque meu sonho era cantar e estar no palco o que chegava estava embarcando, sabe?”, disse.

“No auto intitulado EP eu realmente passei muito tempo em estúdio, eu escrevi bastante, eu tive toda aquela experiência de estar trocando ali com os produtores. Na época eu trabalhava com o Josefe, que é um cara incrível, e a gente passava muito tempo compondo e foi uma experiência linda, muito massa e saiu o EP, que é algo que eu amo, que eu tenho muito orgulho. Tem muita personalidade, tem muito do que eu quero fazer. Naquela época, em 2019, eu ficava ‘Nossa, esse é o caminho que eu quero explorar’. E fiquei feliz, fiquei orgulhoso e foi importante porque foi o ponto inicial, né? Foi onde as pessoas começaram aos poucos saber quem era Davi Bandeira”, completou.

Dentre as faixas do autointitulado, Davi trouxe a romântica “Seu Boy”, que teve uma grande receptividade do público e trouxe na letra bastante receptividade. “‘Seu boy’ eu estava saindo do processo ali de ‘Ariano’ e eu sempre achei importante falar de sexualidade, só que a gente não tinha antes esse movimento ‘seja você mesmo’, sabe? A gente via Pabllo, que é uma das pessoas mais importantes assim pra mim enquanto artistas porque ela escancarou as portas e falou ‘Vai ser quem tu é’, sabe? ‘Coloca a tua identidade dentro do teu trabalho, acredita em você mesmo, não se esconde atrás de nada nem de nenhuma fórmula’.”, começa o cantor. 

“Eu sempre fui quem eu sou dentro da minha vida pessoal, só que no trabalho, quando eu comecei ali as pessoas diziam ‘Não, faz assim. Não mostre tanto, não faz não sei o que’ aí você fica com medo, entendeu? Com ‘Seu Boy’ foi o momento em que eu falei ‘Não! Eu escrevi essa música pra um cara, eu estou falando de relacionamento com um cara, que eu estou apaixonado por um cara, eu tenho que fazer isso em vídeo também. Tenho que ser muito fiel a tudo isso.’ E foi o que eu fiz. E aí o clipe assim está muito lindo, que foi onde saiu nos lugares, saiu nos sites e foi onde abriram as portas pra mim.”, completa.

O projeto autointitulado ganhou ainda mais força em 2020 com o lançamento de “Dói, Mas Passa (Mesmo)”, uma nova versão de uma das faixas da tracklist e que desta vez Davi vinha dividindo os vocais com o amigo Tchelo

“‘Dói, Mas Passa’ foi uma fuga assim pra mim porque a ideia de ser uma música com Tchelo ela existia desde quando eu estava finalizando o EP e aí eu eu tinha uma data pra finalizar o EP e pra lançar o EP. Eu queria muito que ele saísse no dia 13 de dezembro. Eu gosto muito da Taylor Swift e u gosto muito do número 13 também, que tem uma simbologia. E aí eu falei ‘Não, eu quero que o álbum saia no dia 13, tem um significado pra mim, não quero que passe disso.’. E aí Tchelo não conseguiu entregar a tempo, ele estava com muita correria final de ano, muito trabalho e a gente não conseguiu usar música. Até então, tudo bem. E aí a gente tinha outros planos, a gente ia gravar um clipe super massa pra música ‘Mais’, mas acabou que veio a pandemia e todo mundo ficou sem entender o que estava acontecendo até hoje e a gente falou lá, eu tive que voltar pro Ceará e a gente ficou ‘Amigo, vamos fazer o nosso remix agora que a gente não está fazendo nada?’. E aí ele conseguiu gravar. Mesmo ali no início da pandemia ele conseguiu ir pro estúdio com segurança e a gente gravou o clipe em casa mesmo.”, conta Davi sobre a parceria.

A música chegou às plataformas depois de muito esforço dos artistas, que não sabiam se as pessoas iriam escutar, mas lançaram a parceria como forma de demonstrar o apoio mútuo. “A gente não pensou que muitas pessoas iriam ouvir. A gente se encontrou, se ajudou na pandemia no início da pandemia, conversava muito, dava muito apoio um ao outro e colocou a música do mundo.”, conta Davi, que foi surpreendido pelo resultado. “Foi muito doido porque a música pegou o número #1 no iTunes, as pessoas compraram. O público do Tchelo apoiou bastante, tem muitas visualizações nas plataformas e é uma das músicas hoje que eu estou mais ansioso pra cantar agora que eu vou voltar aos palcos.”, finaliza.

Artista Independente

Sobre a carreira de artista independente, Davi conta que vem experimentando há muitos anos e que o tempo lhe mostrou que fazer música é a verdadeira paixão da vida. “É o que eu gosto de fazer. Não só produzir a música, mas eu gosto de criar. É a maneira como eu me expresso no meu dia a dia, é o que eu sei fazer, sabe? Então, eu farei música independente se tem público ou não pra ouvir, isso é um ponto muito importante pra mim. Aí, óbvio, enquanto profissional, enquanto trabalho é complicado realmente porque o mainstream tem muitos artistas fazendo muitas coisas hoje em dia. Que bom, porque aí abre um espaço muito grande e também na galera independente tem muita gente no mundo.”, diz o artista, que reflete sobre a o meio musical.

“Conseguir fazer com que as pessoas te ouçam é difícil porque é como se ‘Ah, ok, porque eu devo te ouvir e não fulano, sabe?’. Tem muito disso. Eu não fico pirando muito em relação a isso. Eu me preocupo muito em o que eu vou fazer, saber o que eu vou fazer é mais importante pra mim em primeiro lugar. O que eu vou fazer, como eu vou fazer, o que de diferente eu vou fazer, sabe? Porque é um mundo muito competitivo, a gente não pode negar. E depois que eu entrei, eu entendi a profundidade do que as pessoas falavam porque eu ficava ‘Não, gente, num é assim para com isso’. E é realmente, mas eu acredito que tem espaço pra todo mundo. Eu acho que quando você é muito verdadeiro a você mesmo sempre haver alguém disposto a ouvir tua música se a sua música for verdade. Eu acredito muito nisso.”, completa. 

“Hoje eu tenho a oportunidade de ter pessoas somando, né? Tem pessoas chegando aos poucos pra contribuir na na minha carreira enquanto profissão. Mas eu sempre gosto de pensar e lembrar que eu comecei meio que sozinho, sabe? Isso sempre me deixa com mais pé no chão e pensando em objetivos mais reais e não tão megalomaníacos e rápidos a longo prazo”, finaliza o cantor.

“Vai Passar” e novo momento na carreira

Dando início à nova era da carreira, Davi lançou em janeiro o single “Vai Passar”, que chegou acompanhado de videoclipe. A música traz muito sentimento ao falar de um amor que pode não ter acabado e a expectativa por uma volta na insistência por algo em que ainda se acredita que valha a pena.

“‘Vai Passar’ eu compus foi em junho de 2020. A gente está desenvolvendo um disco, né? Ele está quase pronto. E aí foi algo muito diferente de tudo que eu já fiz porque a gente primeiro produziu um trabalho, ele está sei lá 90% pronto, e depois a gente começou a pensar em lançamentos.”, diz o artista, que revela que o single não seria lançado primeiro. “No disco, a sonoridade tropical e regional da música pop é muito forte. É uma das minhas vertentes, sabe? Quando eu pensei em ‘Vai Passar’ eu queria que ela fosse exatamente como ela é. E aí eu fiquei pensando ‘Meu Deus, será que não vai ficar uma bagunça no disco, uma farofa’, sabe? Eu fiquei pensando que de um lado tem um piseiro pop lá no disco do nada tem um pop com referência dos anos 80. Como que a gente vai encaixar tudo isso? […] A gente decidiu lançar ‘Vai Passar’ primeiro justamente por mostrar primeiro esse lado, né? Que é o que talvez as pessoas não esperassem pra chegar nas brasilidades, que é o que quem já me conhece sabe que eu exploro bastante.”, termina.

Davi conta que o processo criativo de “Vai Passar” foi bastante tranquilo e teria a colaboração de um outro amigo, mas por conta de conflitos de agenda a parceria não aconteceu e o artista decidiu lançar solo. O videoclipe conta com uma superprodução e foi gravado no Ceará e já conta com mais de 30 mil visualizações no Youtube.

“Eu gravei na minha cidade lá no Juazeiro do Norte, no Ceará. Durou dois dias e tinha muita gente envolvida. Foi uma produção muito grande, muitos profissionais bons, mas ao mesmo tempo olhava pro lado e estava cercado de amigos porque todos eram amigos e às vezes o que me motiva muito é olhar pro lado e ver a quantidade de pessoas que acreditam também. Deixa de ser algo só meu, deixou de ser um sonho só meu, uma meta só minha, é o sonho de muita gente que está sonhando junto. Isso é muito bom!.”, diz o artista, que completa reafirmando a importância do apoio das pessoas. Para ser finalizado, Bandeira conta que clipe precisou de uns quinze dias, entre produção, gravação e edição.

Depois do lançamento e de tanta receptividade do público, Davi ainda viveu mais um momento especial com “Vai Passar”. O videoclipe estreou na programação do TVZ, do Multishow, e marcou a carreira do jovem artista com mais um feito emocionante.

“É doido é sabe por que que é doido? Porque era algo que eu sempre sonhei e quando chegou foi emocionante só que foi uma coisa tipo ‘Caramba!’, sabe? Aconteceu e quando aconteceu eu falei ‘É aqui que eu quero ficar’. Essa foi a sensação que eu tive. Óbvio que eu surtei, eu chorei, todo mundo aqui em casa foi tipo o final do Copo do Mundo. Todo mundo reunido gritando. Foi emocionante, cara. Muito emocionante.”, relatou Davi. “Eu lembro muito de 2005. Eu não tinha internet em casa nessa época. E o que a gente tinha era assistir clipe na MTV e eu lembro muito dos clipes que passavam, estreavam e a gente ficava torcendo pra ser os que a gente gostava”, lembra.

Após “Vai Passar”, Davi Bandeira lançou ainda o single “Me Diz”, que também esbanja sentimento e traz na letra os questionamentos dos fins de relacionamento. “‘Me diz” surgiu no mesmo período que ‘Vai Passar’ eu estava vivendo esse esse luto que é o fim do relacionamento e você se questiona muitas coisas. Então, eu vinha escrevendo muito sobre esse tema, sobre essas coisas e ‘Me Diz’ é basicamente uma carta aberta sobre um momento que eu estava vivendo, aquele sentimento que você sabe que terminou, mas você fica se questionando o porquê se era tudo tão incrível tudo tão massa não acabou com briga nem nada. Então, ‘Me Diz’ é muito sobre isso é sobre de ver se ainda há alguma chance de reatar, é uma carta aberta, um pedido de volta.”

“A ideia do vídeo era ser como se fosse uma conversa, sabe? Uma conversa direta entre duas pessoas, por isso que ele é basicamente um take só, eu com a câmera. É como se eu tivesse falando diretamente pra uma pessoa, então a ideia do vídeo era essa. E aí peguei algumas referências de televisão nos anos 90, de cor, de filmagem pra ter muito da estética que eu estou explorando e que eu gosto muito.”, contou sobre o videoclipe.

Nos próximos meses, Davi Bandeira prepara mais novidades para os fãs e continua na produção do disco, que ainda não teve data de estreia revelada. Além disso, o artista, que está retomando aos poucos a agenda de shows, se apresenta em São Paulo nesta quarta-feira, 11. Para mais informações, clique aqui.

Agradecemos pela sua visita! Se gostou desta notícia, compartilhe com alguém que goste e nos ajude a chegar em mais pessoas. Acompanhe mais conteúdos exclusivos da Poltrona Vip no Twitter, Facebook e Instagram. Além disso, siga também no Google Notícias para não perder nada e se inscreva em nosso canal do Youtube.

Se você quiser falar com a gente para envio de pautas, anunciar ou comunicar algum erro em nossas matérias, mande email para [email protected] e ficaremos felizes em te atender. Agora, se quiser fazer parte da nossa equipe de colaboradores, clique aqui para se inscrever.

Trending