Connect with us

Famosos

Entrevista | João Victor fala sobre design escolhido por Jaida Essence Hall para final de Drag Race: “Experiência surreal”

Publicado

em

O talento dos brasileiros está cada vez mais sendo reconhecido internacionalmente em todas as áreas. Em abril, o programa RuPaul’s Drag Race encerrou a décima terceira temporada e um design de um ilustrador brasileiro dominou a passarela sendo usado por ninguém menos que a vencedora do ano anterior, Jaida Essence Hall.

João Victor é um talentoso designer carioca, que teve o trabalho selecionado pela drag queen. O artista conta que o design escolhido por Jaida foi ilustrado ainda em 2020, mas o contato com a drag queen começou no início deste ano. “O design para o look que a Jaida usou foi originalmente ilustrado em Julho de 2020, mas o nosso primeiro contato já foi esse ano, por volta do mês de março, quando a Nicky Doll, amiga próxima da Jaida, mostrou meu trabalho pra ela. Nesse período, eu, Nicky e Jaida conversamos algumas vezes pela DM do Instagram sobre uma possível colaboração, mas ainda não estava nada decidido.”, conta João.

Foto: World of Wonder

Ao final de cada temporada, a queen vencedora do ano anterior comparece à coroação para passar o título a diante e usa um modelito feito especialmente para a ocasião. Além da expectativa de ver qual vestido grandioso Jaida usaria no momento de destaque, para João a surpresa foi em dobro, já que não sabia que o design escolhido pela drag queen havia sido o dele. 

“E foi quando ela entrou no palco segurando a coroa e o cetro, que eu descobri que ela tinha escolhido um design meu para usar! Segundos depois da cena ser exibida ao vivo ela me chamou na DM do Instagram e esclareceu que não poderia ter me avisado com antecedência por questões contratuais do reality, mas como já tínhamos conversado antes sobre essa possibilidade de colaboração, foi apenas uma questão de acertar pagamento, divulgação, etc. No fim das contas foi uma surpresa muito boa e elas foram extremamente atenciosas e responsáveis, além de se mostrarem super abertas para conversar comigo sobre como tinha sido o processo.”, conta.

João Victor viu as redes sociais explodirem em curtidas e mensagens de diversas pessoas, que parabenizando-o pela conquista. “Pra ser sincero eu ainda estou tentando processar tudo que aconteceu. Eu venho de uma comunidade artística online muito forte e de uma família que me apoia muito, então no momento em que o vestido apareceu ao vivo, minhas redes sociais começaram a explodir com notificações de amigos próximos, amigos virtuais e parentes – eu mal estava sabendo como reagir a princípio. Nas últimas 24 horas meus números de seguidores duplicaram, meu tweet alcançou 13 mil curtidas, Jaida foi pros trending topics, recebi centenas de mensagens carinhosas de brasileiros que estavam orgulhosos de ver o Brasil sendo representado numa plataforma tão grande, e principalmente de amigos artistas que reconheceram meu design à primeira vista.”, diz o artista.

“Esse apoio inicial vindo de pessoas mais íntimas foi essencial pra mim, por que a princípio eu confesso fiquei apreensivo sobre como os fãs de Drag Race ao redor do mundo reagiriam ao vestido – e, pra minha surpresa, o feedback foi bastante positivo! Ainda está sendo uma experiência surreal ver diversas “RuGirls” que eu admirei por toda a minha adolescência elogiando o vestido e o design. Além de tudo isso, acho que a melhor parte dessa experiência toda foi poder trabalhar com pessoas que eu realmente admiro, que me inspiram e se inspiram em mim, que levaram meu trabalho para um patamar que eu não acreditava que poderia alcançar tão cedo. Está sendo muito especial ver essas portas se abrindo, não só pra mim, mas para diversos artistas na comunidade, e daqui pra frente eu espero que se abram muitas outras!”, diz animado.

Dono de muito talento e de um estilo próprio, João criou o vestido para uma competição de moda que estava participando no último ano e, coincidentemente, o design foi pensado para a própria coroação. “Aconteceu esse paralelo entre a minha personagem sendo coroada numa competição virtual, vestindo esse look, e a Jaida passando a coroa para a nova Winner de RuPaul’s Drag Race, usando o mesmo vestido!”, conta.

O design carrega não só glamour e beleza, mas um conceito muito íntimo para o artista e que foi executado fielmente pela equipe da drag queen em cada detalhe. “O conceito por trás desse design retrata memórias, relíquias, nostalgia, morte, renascimento, sangue, suor e lágrimas. É justamente sobre dar tudo de si para alcançar seus objetivos, levando em consideração boas lembranças e recomeços. Isso tudo tem relação com o tanto que eu ralei para conseguir vencer essa competição da qual eu estava participando na época, o que mostra mais um paralelo com a jornada da Jaida em Drag Race. Esse vestido esconde vários pequenos detalhes que eu fiquei extremamente feliz de ver que foram fielmente reproduzidos na vida real: os querubins de porcelana, os brincos com pequenos rostos encravados, as jóias, os fios dourados, etc. Jaida e Anthonny da “House of Canney” (que foi o responsável por tirar o design do papel) tiveram uma atenção incrível aos detalhes e tomaram todos os cuidados para se manterem fiéis à minha ideia original, resultando num trabalho colaborativo muito lindo!”, explica. “Essa não foi a primeira vez que uma queen de Drag Race reproduziu um design assinado por mim, mas, no caso da Jaida, foi sim a primeira vez em que eu fui devidamente creditado, comunicado e pago. Apesar da ocasião grandiosa, foi um processo tão natural para as duas partes que eu com toda certeza adoraria trabalhar novamente com ela no futuro.“, finaliza.

A importância de ter o design escolhido por Jaida vai além de só ver o vestido sendo usado por uma grande artista em um programa de televisão, mas também de poder mostrar o trabalho para tantas outras queens e ter o talento reconhecido. Até o momento, João ainda não possui outros convites, mas garante que estará preparado quando surgirem.

“Fico muito feliz de saber que, através da Jaida, eu tive a oportunidade de mostrar meu trabalho para outras queens que começaram a me seguir nas redes sociais nestes últimos dias, então sempre existe a possibilidade de surgir alguma nova colaboração. Eu vou continuar produzindo novos designs e novas ideias, e quem sabe uma nova oportunidade pode aparecer? Mas enfim, por enquanto eu não tenho nenhuma fofoca pra contar, não!”, diz.

De Alcione a Pabllo Vittar, a lista de nomes com quem João gostaria de colaborar é extensa e inclui nomes nacionais e internacionais da música de todos os gêneros que se possa imaginar. “Sonho muito em trabalhar com artistas brasileiras incríveis como Pabllo Vittar, Iza, Alcione, Elza Soares, Urias, Gloria Groove, Linn da Quebrada, Silvetty Montilla, Ikaro Kadoshi, Marcia Pantera… enfim gente demais! Mas se eu fosse realmente sonhar muito alto eu não poderia não dizer Lady Gaga – se eu tenho a conexão com moda e estética que tenho hoje em dia, a culpa foi da MTV por ter passado o clipe de You and I e Alejandro na TV todos os dias quando eu tinha uns 9 ou 10 anos de idade. Essa mulher me afetou de um jeito tão grande, para o resto da minha vida, que se um dia eu trabalhar com ela acho que já dou entrada na aposentadoria no dia seguinte. Mas ainda nas menções internacionais, temos Madonna (obviamente), Billie Eilish, Lizzo, Lil Nas X, Doja Cat, Sza, Kali Uchis, Shae Coulee, Symone, Bimini Bon Boulash e se deixar, passo o dia inteiro listando.”

Disponíveis nas redes sociais e site oficial, as artes de João são carregadas de uma estética repleta de exagero e extravagância ao ilustrar figuras conhecidas por muitos de nós, como personagens de desenho animado e filmes. De fato, a cultura pop é uma das grandes referências de Victor.

“Eu estaria mentindo se não dissesse que o que mais me inspira é a cultura pop. Eu sou o estereótipo da criança que cresceu assistindo Jetix, Cartoon Network, Meninas Super Poderosas, Pokemon, Digimon, Alice no País das Maravilhas, Studio Ghibli, etc. Então acredito que muito do que eu faço hoje em dia, a extravagância, o exagero, a estética mais lúdica, vem dessas influências da infância. Já alguns outros aspectos são de partes mais recentes da minha vida como minha admiração pela estética carnavalesca, filmes de terror super produzidos, filmes toscos de herói, iconografia, religião, HQs e obviamente o mundo da moda e da arte drag em si. Na verdade, por causa do ambiente online do qual eu faço parte, onde praticamente todos são artistas, designers de moda, ilustradores, quadrinistas, drag queens, pessoas criativas em geral, eles se tornaram as minhas inspirações que mais importam – são as pessoas que mais me influenciam, me inspiram e me guiam, não só esteticamente mas numa questão de carreira artística mesmo. E não necessariamente é uma coisa planejada, mas por convivermos por tanto tempo, produzindo juntos, com objetivos semelhantes, é impossível que um não se conecte com o trabalho do outro de uma forma ou de outra.”, conta.

Questionado sobre a principal dificuldade em atuar nesta área, João prontamente responde: “Ser brasileiro. Queria que fosse só pelo meme, mas não é – o Brasil não tem muitos sistemas que realmente apoiem a carreira artística, e os pequenos sistemas que ainda tentam resistir são ignorados ou até mesmo boicotados. Eu sou estudante de licenciatura em Belas Artes pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, e o meu curso é a materialização da expressão “tirar leite de pedra” – as universidades federais estão sucateadas e os poucos recursos que ainda temos estão sempre sendo ameaçados com cortes de verba, que levam a perda de materiais, cancelamento de bolsas, abandono, e até incêndios e outros incidentes. Essa é a parte mais difícil: ter que se apoiar apenas na sorte de conseguir se estabilizar pela internet, como freelancer ou de conseguir alguma oportunidade fora do país, especialmente quando se trata de moda, que possui um mercado ainda mais estreito. Se formar é o maior desafio, arrumar um emprego depois de formado é um desafio maior ainda, e a estabilidade financeira sempre vai ser o pior obstáculo. É possível? Claro que é, mas é de longe a maior dificuldade nessa área. Justamente por isso tudo, que oportunidades como essa com a Jaida são tão especiais.”

Já sobre sonhos, João Victor revela que não consegue pensar no maior que possui, mas que uma das coisas que mais tem buscado é ter maior segurança na questão de trabalhar com internet. “Eu não sei se eu consigo pensar no meu maior sonho de todos. Prefiro pensar em um sonho razoável de cada vez e acho que por enquanto o que eu mais almejo é conseguir uma maior segurança nessa questão toda de trabalhar com internet. Sonhos maiores que esse seriam algo como assinar um grande projeto idealizado por mim, que seja um encontro entre ilustração, moda e storytelling – mas sem pressa, acho que ainda falta um bocado pra isso acontecer então prefiro dar um passo de cada vez.”, conta.

O designer conta os planos para os próximos meses e adianta que pode ser que se arrisque em algumas lives, além de estar participando de uma nova competição de design. “Eu vou continuar postando novas artes semanalmente nas redes (ou mais, se tudo der certo) e me dedicando a alguns trabalhos comissionados que estou começando a fazer, e quem sabe eu até me arrisque em umas livestreams também. Além disso tudo eu ainda estou participando de uma nova competição de design, então sempre vai ter novidades.”, conta João, que completa dizendo que está aberto a novas propostas. “Eu estou totalmente aberto pra isso, então se outra oportunidade com alguma queen surgir pode ter certeza que vocês vão ficar sabendo, pode até me chamar pra outra entrevista que eu vou ter mais mil coisas pra falar de novo!”, finalizou.

Trending