Connect with us

Música

Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, proíbe execução da obra do filho em manifestações contra a democracia

Publicado

em

cazuza

Em nota divulgada pela página da Sociedade Viva Cazuza, Lucinha Araújo, mãe do astro, proibiu a execução das canções do cantor e compositor em qualquer evento ou manifestação que peça o fim da democracia. O veto se deu devido às manifestações realizadas nas últimas semanas por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro

Além de contrariarem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que alertam que aglomerações ajudam a propagação do coronavírus, os protestos pedem o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional e a volta da ditadura militar. 

Ironicamente, uma faixa que traz críticas ao período militar e aponta as contradições do processo de redemocratização do país é uma das executadas nessas manifestações: “Brasil”, lançada por Cazuza em 1988. A informação é da Folha de S. Paulo

A faixa é parte do álbum “Ideologia”, considerado um dos principais atos políticos da carreira do rockeiro. “Não me convidaram / pra essa festa pobre / Que os homens armaram / pra me convencer / A pagar sem ver / toda essa droga / Que já vem malhada antes de eu nascer”, diz um trecho. 

“‘Brasil’ é uma música de grande importância na democracia brasileira e ser usada junto a gritos de ordem e cartazes que pedem o fim da democracia é inaceitável”, afirma o comunicado. Baseados na Lei de Direitos do Autor, a Sociedade Viva Cazuza comunicou que o descumprimento da medida pode levar a penas por violação de direitos autorais. 

A carta, assinada por Lucinha, George Israel e Nilo Romero, compositores da canção, é encerrada em apoio ao isolamento social, outra medida criticada pelo presidente e seus apoiadores. “Seguimos as orientações da OMS que recomenda que a população fique em casa, em isolamento, pensando no bem de todos, sendo solidários e trabalhando para diminuição do sofrimento e privação dos mais vulneráveis”.

Leia o comunicado na íntegra: 

Prezados Senhores,
Foi com grande pesar que tomamos conhecimento através de artigo no jornal Folha de São Paulo, do dia 03/05/2020 com o título “Bolsonaro Volta a apoiar ato contra o STF e Congresso e diz que Forças Armadas estão ao ‘lado do povo’”, que a música “BRASIL” foi uma das usadas na manifestação. Brasil é uma música de grande importância na democracia brasileira e ser usada junto a gritos de ordem e cartazes que pedem o fim da democracia é inaceitável.
Com base nas prerrogativas dadas pelo artigo 29 da Lei de Direitos do Autor (Lei 9610/98), a Viva Cazuza desde logo torna pública a proibição da execução de qualquer obra ou intepretação de Cazuza em qualquer evento e/ou manifestação dessa natureza, ficando qualquer um que desrespeite esta proibição sujeito à aplicação das sanções civis e penais cabíveis em virtude de violação de direitos autorais.

Apoiamos a democracia e não atitudes violentas. Seguimos as orientações da OMS que recomenda que a população fique em casa, em isolamento, pensando no bem de todos, sendo solidários e trabalhando para diminuição do sofrimento e privação dos mais vulneráveis.
Atenciosamente,

Lucinha Araújo(Cazuza), George Israel e Nilo Romero

Trending