in

Luiz Schwarcz, fundador da Companhia das Letras, se manifesta após censura de Marcelo Crivella

Após Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, censurar na última quinta (05) o quadrinho “Vingadores: A Cruzada das Crianças” e determinar uma fiscalização para identificar livros considerados “impróprios” na Bienal do Livro Rio, a Companhia das Letras manifestou através de comunicado oficial o repúdio a todo e qualquer ato de censura e se posicionou, mais uma vez, à favor da liberdade de expressão.

“Ficamos orgulhosos com a posição da organização da Bienal do Rio em defesa da liberdade de expressão e da diversidade. Ela mostra com dignidade a vocação e vontade dos editores. Posturas como a do prefeito Marcelo Crivella e do governador João Doria – que recentemente mandou recolher uma apostila escolar que falava sobre diversidade sexual – tentam colocar a sociedade brasileira em tempos medievais, quando as pessoas não tinham a liberdade de expressar suas identidades. Eles desprezam valores fundamentais da sociedade e tentam impedir o acesso à informação séria, que habilita os jovens a entrar na fase adulta mais preparados para uma vida feliz. Essas medidas, mais a suspensão do edital que daria apoio a produção de filmes LGBTQ+ por parte do governo federal, indicam uma perigosa ascensão do clima de censura no país – flagrantemente inconstitucional – e que traz a marca de um indesejável sentimento de intolerância discriminatória”, diz Luiz Schwarcz, CEO e fundador da Companhia das Letras.

O comunicado de Crivella aconteceu na última quinta através de um vídeo onde comenta as medidas que deverão ser adotadas. Segundo o prefeito, os livros precisam estar embalados em plástico preto e, do lado de fora, avisando o conteúdo. No mesmo dia, um grupo de guardas municipais foi à Bienal com o objetivo de recolher os livros, mas todos se encontravam esgotados.

Confira o vídeo abaixo:

Sobre a determinação, a Bienal do Livro afirmou que “dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser.” e que se o público adquirir um produto que não o agrade, a feira garante a troca. Vale lembrar que o evento terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+ neste final de semana.

Escrita por Otavio Pinheiro

Apenas mais um jornalista apaixonado por cinema e papelarias.

Marianna Eis colabora com Guga Fernandes em “Ponto Fraco” que estreia com direito a clipe

Jornalista revela data de lançamento do próximo álbum de Rihanna