Entrevista Pesadona: IZA conta com quem gostaria de fazer feat, fala sobre representatividade e quando lança o novo álbum

Dona de uma voz potente e uma artista muito talentosa. Assim podemos definir, pelo menos parcialmente, a nova aposta da música nacional, a IZA. A cantora carioca, que vem ganhado cada vez mais espaço nas rádios e diversos meios de comunicação, chama a atenção por onde passa não só por seu talento, mas também por sua simpatia e simplicidade.

Com letras cheias de empoderamento e atitude, IZA veio para inspirar as pessoas que curtem suas músicas, que sempre trazem mensagens muito positivas e abordam temas muito importantes. Em seu canal do Youtube, a cantora esbanja talento cantando além de suas músicas, canções de artistas que a inspiram, como Beyoncé, Rihanna e Adele.

Com mais de 19 milhões de acessos em apenas um mês, “Pesadão” é o novo single da cantora e traz a colaboração do vocalista do grupo “O Rappa”, Marcelo Falcão. “Essa música vem de muita coisa que eu quero falar para a sociedade Estou muito ansiosa para saber o que todo mundo vai achar disso”, contou Iza no Making Off da música, disponível no canal da Warner Music.

Além de “Pesadão”, a lista de músicas lançadas pela cantora também conta com faixas como “Te Pegar”, “Esse Brilho é Meu” e “Quem Sabe Sou Eu”.

Conversamos com IZA para saber mais da sua carreira, inspirações e sobre o seu novo álbum. Confira:

POLTRONA VIP: Para começar queremos saber do início, lá da sua infância. Você sempre cantou? Quando foi que você viu que seu dom era a música e resolveu investir na carreira de cantora?

IZA: Minha família sempre foi muito musical, então desde pequena eu sempre tive modelos pra me espelhar musicalmente, como minha mãe e minhas tias, por isso eu sempre cantei desde pequena. Viver de música é um sonho que eu queria realizar, então acho que houve um ponto da minha vida enquanto eu estudava que eu decidi que era de música que eu queria viver. E fui atrás.

PVIP: “Esse brilho é meu e ninguém vai tirar”, “E quem manda em mim sou eu” e “Pode falar o que quiser que hoje eu vim só pra causar” são algumas das suas letras e a gente pode notar muita atitude. São letras que trazem várias mensagens ótimas, mas de uma maneira muito fácil de entender e que fazem com que as pessoas se identifiquem. Quais os sentimentos que você quer despertar nas pessoas que escutam suas músicas?

IZA: Eu gosto de mostrar para outras mulheres que elas são fortes e donas de si. Eu lembro a menina que fui quando era mais nova e sei como é importante me ver nos lugares, me sentir representada, ter uma mulher forte me dizendo todos os dias que eu posso e que “quem sabe sou eu”. Então, sempre que eu puder usar a minha música pra passar essa mensagem, é o que eu vou fazer. É muito gratificante ver que as pessoas se identificam com esses temas e que gostam da minha música desse jeito.

PVIP: No seu canal do Youtube você faz covers de Beyoncé, Rihanna e tem até a música “I Put A Spell On You”, da grande Nina Simone. Aliás, no Prêmio Multishow, você já subiu ao palco cantando Rude Boy da Rihanna. Seja na atitude, na voz, nos trejeitos no palco, quais são os artistas que te inspiram?

IZA: Tem várias, por exemplo, Rihanna, Liniker, Beyoncé, Donna Summer, Nina Simone, Elza Soares… Todas elas me inspiram pela força e pelo papel que exercem na música.

PVIP: Eu acredito que muitas pessoas ainda tem a dificuldade de encontrar alguém pra se espelhar, alguém para seguir, alguém com as mesmas características. Novembro foi o mês da Consciência Negra e você, mulher negra com esse cabelo poderosíssimo e muito estilo, acredita que pode servir de inspiração para as pessoas e ser um empurrãozinho para algumas se aceitarem mais?

IZA: Eu acho que sim. É muito bacana ser inspiração pra outras mulheres. Acho que se tem conquistado muito em prol da mulher, mas ainda falta muito a se conquistar. O que segue na minha lista de prioridades é conquistar cada vez mais oportunidade para as mulheres, principalmente as negras. Acredito que a gente ainda é sim a parcela da população que mais sofre com homicídios, com preconceito, com racismo e com o machismo. Então o que eu quero cada vez mais é conseguir oportunidades para que todas essas mulheres tenham lugar de protagonismo também.

PVIP: Ainda falando de representatividade, este mês a Marie Claire fez três capas diferentes para a revista. Uma com a Pabllo Vittar, outra com a Gal Gosta e outra com você, né. Como aconteceu esse convite e como foi pra você estar na capa de uma revista como a Marie Claire?

IZA: A revista fez o convite e eu amei. Estar ao lado da Pabllo que é hoje uma das maiores artistas da atualidade e da Gal que é um ícone, foi um sonho!

PVIP: Seu novo single,“Pesadão”, traz a participação de Marcelo Falcão. Super deu certo e a gente quer saber como surgiu essa parceria?

IZA: Nós convidamos e ele aceitou! Fiquei feliz demais. Deu muito certo!

PVIP: E todo mundo quer fazer parte do bonde pesadão, Iza! Fala pra gente como a gente faz pra fazer parte desse bonde, por favor?

IZA: É só chegar junto! Vir nos shows, dançar!

PVIP: Além da parceria com Falcão, você dividiu o palco com o Cee Lo Green no Rock In Rio, você recentemente abriu o show do Coldplay e rolou até uma foto com a Dua Lipa. Pensando em parcerias, quais os artistas que você sonha fazer um feat pesadão daqueles?

IZA: Duas artistas que eu admiro muito e que eu gostaria de trabalhar no futuro são a Liniker e a Karol Conká.

PVIP: Em entrevista, você contou que vai ter feat com a Aretuza, a faixa “Movimento”, que vai estar no novo álbum da drag. O que você pode adiantar pra gente dessa colaboração?

IZA: Ainda não posso contar muito, deixa como surpresa.

PVIP: Iza, quando questionada por um fã sobre o lançamento do seu primeiro álbum no programa “The Bate Boca”, da Mix, você disse que ainda não há uma data prevista porque ele não está pronto e que quer entregar algo perfeito para os fãs. Como virginiana que ama as coisas bem feitas, você se sente pressionada na produção e lançamento deste álbum? Conta pra gente como anda a produção e o que podemos esperar dele?

IZA: O álbum sai mês que vem, estou ansiosa pra ver como vai ser. O público pode esperar músicas que definem a minha voz. Com esse álbum acredito que as pessoas vão poder conhecer mais de mim. Existem várias vozes nesse álbum que se comunicam e me completam. Espero que todos gostem do resultado.