Roger Waters classifica Bolsonaro como “neo-fascista” em telão de show em SP

Fãs se dividiram entre aplausos e vaias

Roger Waters, ex-Pink Floyd, levou na noite de ontem para a Arena Allianz Park, em São Paulo, a turnê US and Them. Críticas políticas sempre foram comuns na carreira do artista. No Brasil não foi diferente. Foi exibida no telão a hashtag #EleNão, além de uma “lista de neo-fascistas”, que incluía o nome de Jair Bolsonaro.

A atitude foi reagida com alguns aplausos e bastantes vaias. Constrangido, Waters se explicou: “Vocês têm uma eleição muito importante daqui a três semanas. Sei que isso não é da minha conta, mas devemos sempre combater o fascismo. Não dá pra ser conduzido por alguém que acredita que uma ditadura militar pode ser uma coisa boa“.

Em quase três horas de show, este foi o momento intenso que deu o que falar. Fãs comentam no Twitter, ressaltando que a posição do baixista esteve em coerência com as mensagens das canções do Pink Floyd.

Veja fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Hoje, o cantor se apresenta novamente em São Paulo. Após o episódio, ingressos encalhados foram vendidos. Vale lembrar que ele também toca em Porto Alegre, dois dias após o segundo turno das eleições.

Ontem, durante a premiação American Music Awards, a cantora britânica Dua Lipa também se pronunciou sobre a campanha #EleNão em entrevista no tapete vermelho, dizendo gostar de se envolver em política e apoiar seus fãs brasileiros.