[ENTREVISTA] Pat Monahan, do Train, conta todas as novidades do último álbum da banda

0
514

Talento, trabalho, coragem e muita paixão fazem da banda Train, conduzida pelo vocalista Pat Monahan, tão firme e forte até hoje, mesmo com tantas mudanças de formação desde seu início na Califórnia, em 1994. Com três Grammys no currículo e fãs pelo mundo todo, a banda tenta se superar a cada trabalho, sem medo de trazer influências e novas experimentações ao gênero do pop rock. As letras seguem a linha intimista, como nas conhecidas “Hey Soul Sister” e “Marry Me”, e muitas possuem um alto teor de diversão, como por exemplo, “50 Ways To Say Goodbye”. O amor que possuem por vinhos (que você pode conferir no http://www.savemesanfranciscowineco.com/wine) veio refletido no título de seu trabalho mais recente, o CD “a girl a bottle a boat”. É nesse cenário (com uma garota, uma garrafa e um barco) que Pat Monahan se imagina teletransportado quando descreve a sonoridade de suas faixas.

O primeiro gostinho do CD foi liberado em setembro do ano passado, com o single “Play That Song”. Depois disso, foram divulgados em sua conta do YouTube lyric videos como pílulas antes do lançamento oficial do álbum, e as canções agraciadas foram “The News”, “Drink Up”, “Lottery” e “Working Girl”. Ele foi apresentado ao mundo por completo em 27 de janeiro e logo no mês seguinte debutou em oitavo lugar no Top 200 álbuns da Billboard. É definido pela banda, pelas críticas e pela repórter que vos escreve como um conjunto de músicas completamente alegres, uma grande celebração à vida.

O Poltrona VIP foi o primeiro portal brasileiro a conversar com o vocalista da banda sobre o este lançamento deste ano, seu processo de criação e a turnê, chamada Play That Song. Confira abaixo a entrevista!

PVIP: Qual a maior diferença entre a girl a bottle a boat e os últimos CDs da Train?

Pat: A girl a bottle a boat é todo sobre felicidade e raios de sol e o processo de composição foi de pura alegria! O último álbum, Bulletproof Picasso, deu muito trabalho, foi muito difícil e os álbuns anteriores a ele foram trabalhos que sinto que nos trouxeram a este de agora. Então, é tudo um processo de crescimento.

PVIP: Nós podemos ver as referências de “Heart and Soul” e “500 Dias com Ela” em Play That Song. Quais referências mais foram usadas no álbum? E quais foram as inspirações para as composições?

Pat: As outras referências são majoritariamente apenas as eras musicais como os anos 50, as vibes dos anos 70 e sonoridades dos anos 80, como em Working Girl. Não sei de inspirações sábias, apenas da vida. Eu sinto que isso tem sido apenas um lugar feliz na minha vida, e a maioria das músicas refletem isso.

PVIP: Qual música do a girl a bottle a boat foi a mais fácil/divertida de escrever e qual foi a mais desafiadora? A banda possui uma canção favorita?

Pat: Acho que as últimas músicas [que finalizamos] foram as que saíram mais rápido. Foram “Valentine”, “Play That Song”, “Drink Up”. Não houve realmente uma música difícil nesse, o processo de chegar a essas músicas que foi difícil. As músicas que não estão no CD foram as complicadas de acertar, mas elas não entraram.

A música favorita da banda nesse álbum deve ser coletivamente “Working Girl”.

PVIP: Como você define o estilo do álbum?

Pat: Essa é uma pergunta interessante. Eu não sei, pessoas me perguntaram e eu realmente acho que o estilo é bem o que diz o título.

PVIP: A girl a bottle a boat debutou no Top 10 da Billboard e “Play That Song” conseguiu ótimas posições no iTunes. Tem sido uma gravação de sucesso entre adultos, jovens… algum público específico veio à sua mente durante o processo de criação?

Pat: Eu estou sempre tentando manter todos os fãs da Train e conquistar novos fãs, sejam jovens ou velhos. Eu amei escrever com pessoas mais jovens nesse álbum, eu realmente acho que essa juventude toda é um adicional na sonoridade de cada música.

PVIP: Houve alguma situação curiosa que vocês passaram durante a realização desse trabalho que você gostaria de compartilhar conosco?

Pat: Nada muito louco nem esquisito. Entretanto, tem uma música que você consegue encontrar apenas na versão da Target, “Crazy Queen”, e eu acho que essa foi a música que me libertou de todas as coisas que estavam me impedindo de chegar nas melhores músicas. Essa daí foi realmente uma canção muito louca e esquisitona. Então, se você puder ouvir, ela pode ser que explique o álbum pra você.

PVIP: A turnê “Play That Song” começa em maio nos Estados Unidos e vai pra Europa em outubro. O que você está ansioso para levar até a turnê?

Pat: Bem, eu estou ansioso que vamos estar com Natasha Bendingfield e OAR, que são amigos nossos. Vamos levar uma produção totalmente nova, que nunca fizemos antes, então isso é bem emocionante. Além disso, com essas músicas novas à medida que formos levando a turnê, vamos ver o que as pessoas mais querem ouvir, então tocaremos essas junto a novos covers de canções.

PVIP: Em 2011, vocês cantaram num programa de TV (Big Brother Brasil) e no Pop Festival (também no Brasil). Vocês gostariam de voltar ao país com a turnê, num show totalmente seus?

Pat: Adoraríamos voltar ao Brasil. Acho que a música [Play That Song] e o álbum estão “começando a começar” a pegar na América do Sul. Então, Brasil com certeza, porque é um país tão imenso e bonito que nós amaríamos voltar. Esperamos que o álbum e as músicas tenham um desempenho bom o suficiente para nos dar um motivo para voltar logo.

PVIP: Qual é a maior diferença entre os shows da turnê e os shows do cruzeiro?

Pat: O cruzeiro é para os fãs mais alucinados da Train que querem ouvir as músicas de todos os CDs e nós tentamos acomodá-las o máximo que conseguimos. Então, esses shows são mais sobre tentar tocar várias dessas músicas que não tocamos frequentemente como tocaríamos na turnê de verão porque há uma parte do público que são muito fãs da Train e uma parte que está conhecendo a gente então precisamos dar a eles nosso melhor show.

PVIP: Mande uma mensagem aos fãs brasileiros!

Pat: Fãs brasileiros da Train, muito obrigado por seu carinho. Esperamos voltar logo e eu peço desculpas por demorar tanto.

Confira o recadinho que o Pat mandou pra gente!

Pat Monahan do Train para o Poltrona VIP

Se liga nesse recado do Pat Monahan, vocalista da Train, para os leitores do Poltrona VIP! Pessoa mais fofa não existe, né? <3
Você ainda não foi no site conferir essa entrevista? Corre, que tá incrível:

[ENTREVISTA] Pat Monahan, do Train, conta todas as novidades do último álbum da banda

Legenda:
“Olá Brasil! Meu nome é Pat Monahan e eu canto numa banda chamada Train, e eu estou aqui na Poltrona VIP convidando vocês para ouvir o nosso novo álbum: a girl a bottle a boat. Você pode ouvir no Spotify ou em qualquer lugar que você preferir. Espero que vocês amem. Ok, e eu também espero ver vocês em breve no Brasil. Se cuidem. Amo vocês.”

Publicado por Poltrona Vip em Terça, 28 de março de 2017


Entrevista por Camilla Alcântara