in

Três histórias diferentes, mas que estão diretamente ligadas em “Sintonia” | Crítica

Na próxima sexta, 9 de agosto, chega ao catálogo Netflix a nova produção original “Sintonia”. Idealizada por Kondzilla, grande nome do cenário musical brasileiro, e produzida por Los Bragas, a série de seis episódios conta a história de Doni, Rita e Nando, que embora tenham ambições diferentes na vida, formam um trio de amigos muito unido.

Doni, vivido por MC Jottapê, tem o sonho de ser um cantor famoso. Um dos maiores desafios está dentro de casa, uma vez que o pai do personagem é um evangélico bem firme e não quer ver o filho cantando música “do mundo”. Além disso, a história de Doni também está ligada com a funkeira mais famosa na série, a Dondoka (Leilah Moreno), que ajuda o jovem MC a conquistar a fama que queria. Sem apoio em casa e movido pela ambição, Doni tem que lidar com as próprias decisões – que nem sempre são as mais sábias.

Já a atriz estreante Bruna Mascarenhas vive Rita, uma garota que mora sozinha e trabalha vendendo produtos nas estações de trem. Depois de uma confusão na rua, Rita vai passar um tempo na casa da pastora em uma igreja da comunidade. A mulher, que era amiga da mãe de Rita, acaba ajudando a garota, que cria um vínculo maior com a igreja e decide, então, seguir a religião.

Casado e pai de uma menininha, a história de Nando (Christian Malheiros) é a mais agitada e que dá o a adrenalina na serie inteira. O rapaz cuida do tráfico de drogas na Comunidade de Jaguaré, em São Paulo, na ausência do chefe, que mesmo preso sabe de todos os detalhes do que acontece. Nando busca crescer no tráfico e, para isso, tem que mostrar que é confiável e conquistar o espaço que almeja.

+ Com direito a tapete vermelho, KondZilla e elenco de “Sintonia” celebram pré-estreia em São Paulo

Mesmo seguindo caminhos distintos, os amigos de infância mantiveram a amizade um apoiando o outro independente das decisões que decidiram tomar na vida. Um dos pontos mais interessantes da série é que por mais que sejam três personagens, nenhum deles se destaca mais. Cada um se destaca de uma maneira diferente, até porque cada um tem uma história diferente.

O roteiro da série, que é assinado por Pedro Furtado, Guilherme Quintella, Duda Almeida e Thays Berbe, mescla música, tráfico e religião de uma maneira muito direta, rápida e de maneira que mantém quem assiste interessado no que virá no episódio seguinte. Além disso, a maneira de como a relação entre os personagens, tanto o trio quanto os personagens secundários, foi muito bem construída.

“Sintonia” está no mesmo patamar das produções do Kondzilla no Youtube e mostra um outro lado do empresário que já conhecíamos, mas numa escala ainda maior e ainda mais produzida. “Desde adolescente, sempre pensei que, se pudesse trabalhar com audiovisual, queria contar umas histórias que ouvi ou presenciei, desse cara, daquele outro cara”, diz Kondzilla.

A produção é uma série rápida, instigante e perfeita para quem gosta de produções mais curtas e cheias de história. Além disso, “Sintonia” é de uma qualidade incrível em todos os quesitos e mostra perfeitamente a rotina das comunidades e das pessoas que moram lá. Quanto ao episódio final, adiantamos que já estamos ansiosos pela segunda temporada!

Assista o trailer e salve já “Sintonia” na sua biblioteca, clicando aqui.

Escrita por Otavio Pinheiro

Apenas mais um jornalista apaixonado por cinema e papelarias.

The Beatles No Acordeon apresenta show “Ao Vivo Cavern Club Liverpool” no Paris 6 Burlesque

“Hora H” | Renan Cavolik lança single no Dia do Sexo; saiba mais!