in

Entrevista | Kafé se junta a Gloria Groove em “Chama” e fala sobre o trabalho: “Sou apaixonado por arte em suas diversas formas”

Imagem: Divulgação

O cantor Kafé traz novidades para o público! Em “Chama”, o artista conta com a participação de Glória Groove. Com uma mistura de R&B, trap e funk, a canção foi produzida por Ruxell, Sérgio Santos e Pablo Bispo

A música é uma das duas faixas do EP colaborativo que o baiano lançou com a drag queen, que definiu “Chama” como uma continuação de “Apaga a Luz”, single lançado por ela no ano passado. O trabalho ainda traz “Imensidão”, com uma proposta diferente da faixa de trabalho. 

Aposta da Som Livre, Kafé já se apresentou em festivais importantes da cena alternativa ao redor do país. No catálogo do cantor ainda constam parcerias com ÀTTØØXXÁ e produções de Sants (Baco Exu do Blues) e Maffalda (Pabllo Vittar).

Em conversa com o Poltrona Vip, Kafé contou detalhes do processo criativo das novas canções e revelou mais uma parceria de peso para os próximos singles. 

Poltrona Vip: Você está lançando o seu mais novo single, “Chama”. Como foi esse processo criativo?

Kafé: Foi um processo bem coletivo. Eu e Hugo Macedo fomos ao estúdio dos Dogz (Ruxell, Sérgio Santos e Pablo Bispo) no Rio De Janeiro para produzir diversas músicas com foco de convidar outros artistas para participar comigo. Eu já tinha feito “Imensidão” com a Gloria Groove, mas tivemos vontade de criar mais uma música para cantar com ela, numa pegada mais enérgica que a anterior. Assim surgiu “Chama”. Um dia depois, ela também foi ao estúdio para criar e gravar a parte dela com os Dogz.

PVIP: O videoclipe da canção surpreende pelas cores e cenários. Quais foram as influências estéticas do clipe? Você tem a proposta de ser um artista visual?

K: Gratidão! Sou apaixonado por arte em suas diversas formas e, com certeza, o videoclipe é um excelente campo para se expressar. Buscamos mostrar um pouco mais das minhas personalidades em cada um dos figurinos e visualizamos três ambientes que comunicariam o ‘mood’ da música: o modernismo sofisticado da cena do LED, o brilho retrô na cena do Baile e a mística transformadora da cena da Chama Violeta.

PVIP: Como surgiu essa ideia do EP em parceria com a Glória Groove? Já conversaram sobre um álbum conjunto? 

K: O EP surgiu pelo fato que já tínhamos produzido duas músicas juntos que eram diferentes entre si. Aliás, para que ter uma vibe só pra ouvir se você pode escolher entre duas, dependendo do seu humor? (risos). Da segunda vez que encontrei ela, comentei que eu super curtiria fazermos um álbum inteiro nosso, mas ainda não entrou para os planos. Quem sabe um dia aconteça.

PVIP: Hoje, você já é um nome de destaque na cena alternativa. Como um artista pop, atingir o público mainstream é uma meta? 

K: Sim, desejo comunicar com o máximo de pessoas possíveis e, para mim, isso deve vir através da excelência artística que estamos buscando atingir a cada dia. Essa é a base de tudo.

PVIP: Você é de Salvador, berço de múltiplas manifestações musicais. Quais cenas musicais da Bahia influenciaram no seu som? 

K: Eu mantenho essa multiplicidade nas minhas influências também, as cenas antigas e novas estão constantemente me trazendo inspiração pois têm alguma coisa interessante para me acrescentar e tocam partes da minha história enquanto pessoa.

PVIP: Você foi escolhido como uma das apostas do YouTube Music. O que isso representa para sua carreira? 

K: O mais importante pra mim foi a experiência que eles geraram para os artistas escolhidos, onde passamos uma semana no YouTube Space Rio, participando de workshops e debates. A conexão que fizemos com todas as pessoas envolvidas foi incrível, saímos de lá com laços verdadeiros e tenho trabalhado com alguns deles hoje, como por exemplo, Altermauz e Nêssa. 

PVIP: Você afirmou que lançaria uma série de singles em 2019. O público já conhece alguns. Até o fim do ano, o que a gente ainda pode esperar?

K: Teremos um novo single com a participação do incrível Rincon Sapiência e também um EP em colaboração com o DJ e produtor Altermauz. Tá legal demais! 

Escrita por Matheus Queiroz

Jornalista e amante de cultura pop.

Neal Adams e Frank Miller estão confirmados na CCXP

Além da música brasileira, Azealia Banks critica e ofende Pabllo Vittar